Atenção leitores

ESTAMOS TRABALHANDO PARA MELHORAR O BLOG - Algumas janelas ainda não estão prontas - Desculpe o transtorno,
Não trabalhamos com venda de plantas e não enviamos sementes.

FEEDBACK - Agradecemos o recebimento de quem tem informações adicionais sobre as plantas postadas neste blog, especialmente se não concordarem com o que temos escrito ou se têm dicas culturais adicionais, pois isso certamente ajudaria a todos.

COMENTÁRIOS - Tentamos responder os comentários na medida do possível, infelizmente não estamos conseguindo atender a todos. Os comentários passam por moderação e não são publicados de imediato, não serão aceitos comerciais.

15 de mar de 2018

ESPORINHA-GIGANTE, ESPORINHA-VELA - ( Delphinium elatum )

ESPORINHA-GIGANTE, ESPORINHA-VELA - ( Delphinium elatum )


NOME CIENTÍFICODelphinium elatum.

Nota: A maioria dos híbridos e cultivares são derivados do Delphinium elatum, também foram feitos cruzamentos com outras espécies de Delphinum .
NOME POPULAR: esporinha-gigante, esporinha-vela.

SINONÍMIA
Delphinium alpinium, Delphinium atropurpureum.

FAMÍLIA: Ranunculaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: É nativa de vales dos rios, clareiras e margens da floresta do lado centro e sul da Europa para Sibéria.

PORTE: De 1 a 2 metros de altura.

FOLHAS:
 
ESPORINHA-GIGANTE, ESPORINHA-VELA - ( Delphinium elatum )
FLORES: Inflorescência terminal, ereta, formada por muitas flores de coloração azul que vão abrindo de forma gradual.
 
ESPORINHA-GIGANTE, ESPORINHA-VELA - ( Delphinium elatum )
Nota: Atrai beija-flor e borboletas.
 
ESPORINHA-GIGANTE, ESPORINHA-VELA - ( Delphinium elatum )
TRONCO:

LUMINOSIDADE: Sol Pleno.

ÁGUA: Aprecia solo úmido, mas que tenha boa drenagem.

CLIMA:

PODA:

CULTIVO: Não é resistente a ventos fortes.

FERTILIZAÇÃO:

UTILIZAÇÃO: Usada principalmente como flor de corte, não é comum ser cultivada em jardins.

PROPAGAÇÃO: Por sementes.

PLANTA TÓXICA: Cuidados especiais com crianças pequenas e animais domésticos pois a planta é tóxica.

PRAGAS E DOENÇAS:

FOTOS DESTA POSTAGEM: As imagens foram feitas no 17º Veiling Market, no stand do produtor Cordilheira.

16 de fev de 2018

LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum )



LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum )

CÓDIGO: SOLLY

NOME CIENTÍFICOSolanum lycocarpum.

NOME POPULAR: lobeira, fruto-de-lobo, fruta-do-lobo, jurubebão, berinjela, wolf’s plant, wolf’s fruit (Inglês).

FAMÍLIA: Solanaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Nativa da América do Sul - Brasil.

PORTE: Pode atingir 5 metros de altura, mas normalmente é vista com 2,0 - 3,5 metros.

FOLHAS: Simples, alternas, rígidas, perenes, com margens irregulares  e coberta por pelos, mede cerca de 16 - 28 cm de comprimento.

LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum ) - Folha
LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum )

FLORES: Hermafroditas, com 5 sépalas, de coloração roxa azulada.
 
LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum ) -Flor
FRUTOS: Com polpa carnosa, de formato arredondado, podem ter até  20 cm de diâmetro, tem coloração verde e amarela quando maduro, a  época de colheita é de julho a janeiro.

LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum ) - Fruto

Nota: Cada planta pode produzir cerca de 40 a 100 frutos, pesando de 400 a 900 gramas, com 300 - 500 sementes.

LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum ) - Fruto Verde
LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum ) - Fruto 
LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum ) - Fruto
LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum ) - Sementes
OPINIÃO (Marco Antonio Mondini): O fruto maduro da lobeira quase não se distingue do verde. É um verde só um pouco mais amarelado, e o aspecto da casca fia "envelhecido". O perfume é realmente tentador, e o sabor é bom, mas definitivamente enjoativo, depois de comido.
A planta tem botão, flor aberta, fruto novo, fruto formado e frutos caídos no chão, em vários estágios de decomposição. A produção é continuada. Interessantes são as características de solanácea da planta: se você quer saber o que é uma solanácea, estude uma lobeira: folhas, flores, frutos, sementes, crescimento, tudo. Aí você entende porque tomate é parente do tabaco, da berinjela, do jiló, batatinha e centenas de outras plantas.

TRONCO
: De coloração castanho 
acinzentado bastante ramificado.
 
LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum ) - Tronco
LOBEIRA, FRUTA-DO-LOBO - ( Solanum lycocarpum ) - Tronco

LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA: Prefere solo ligeiramente seco, regar 1 vez por semana, depois de adulta pode aguentar períodos de seca prolongada.

CLIMA: Prefere o clima do Cerrado que é o Tropical sazonal, de inverno seco, com temperatura média de 22 - 23ºC.

PODA: Não necessária.

CULTIVO: Bastante rústica se desenvolve em solos com terras ácidas e pobres em nutrientes, resiste a período de seca prolongada e a queimadas, é uma espécie invasora.

FERTILIZAÇÃO: Não é exigente em relação a fertilização.

UTILIZAÇÃO: A polpa do fruto maduro pode ser consumida in natura e na preparação de geléias.

Nota: Folhas e frutos é uma boa alternativa na alimentação do gado na época de seca, mas com cuidado com a “tampa” do fruto que pode fechar a boca do estomago, levando a morte do animal.

PROPAGAÇÃO: A multiplicação é feita por semente, que germina com facilidade.

PLANTA MEDICINAL: Muito utilizado na medicina caseira como calmante, no combate a diabetes, epilepsia e hepatite.

Nota: O lobo-guará necessita do consumo da lobeira para matar o verme que ataca seus rins e pode leva-lo a morte.

FOTOS DESTA POSTAGEM: As imagens foram feitas pelo amigo Marco Antonio Mondini.

31 de jan de 2018

ERVA-DE-SANTA-LUZIA - ( Chamaesyce hirta (L.) Millsp. )

CÓDIGO: EPHHI
ERVA-DE-SANTA-LUZIA - ( Chamaesyce  hirta (L.) Millsp. )

NOME CIENTÍFICOChamaesyce  hirta (L.) Millsp.

NOME POPULAR: erva-de-santa-luzia, erva-de-cobre, erva-de-sangue, erva-andorinha, burra-leiteira, leiteira, caá-cica, alcanjoeira.

SINONÍMIAEuphorbia hirta L., Euphorbia pilulifera L. , Euphorbia capitata Lam., Euphorbia globulifera Kunth.

FAMÍLIA: Euphorbiaceae.

CICLO DE VIDA: Anual.

ORIGEM: América Tropical.

PORTE: De 10 a 40 cm.

ERVA-DE-SANTA-LUZIA - ( Chamaesyce  hirta (L.) Millsp. )

FOLHAS: Opostas, pilosas, medindo 1 - 4 cm de comprimento por 1 - 1,5 cm de largura, de coloração verde ou avermelhada, com manchas roxas, a face inferior tem coloração verde pálido.

ERVA-DE-SANTA-LUZIA - Folhas- ( Chamaesyce  hirta (L.) Millsp. )
ERVA-DE-SANTA-LUZIA - Folhas- ( Chamaesyce  hirta (L.) Millsp. )

FLORES: Aglomeradas, se formam na junção das folhas opostas, medindo cerca de 5 - 10 mm de diâmetro e tem coloração verde ou rosada.

ERVA-DE-SANTA-LUZIA - Flores - ( Chamaesyce  hirta (L.) Millsp. )

FRUTO: Medindo cerca de 1,2 - 2,0 X 1,5 mm, é uma cápsula de coloração amarelada.

CAULE: Semi ereto, de coloração avermelhado ou arroxeado com pelos amarelos.

ERVA-DE-SANTA-LUZIA - Raiz- ( Chamaesyce  hirta (L.) Millsp. )

LUMINOSIDADE: Sol pleno, meia-sombra.

ÁGUA: Prospera em solo relativamente seco.

CLIMA: Gosta de clima quente e úmido.

CULTIVO: Cada planta produz em torno de 3.000 sementes que precisam de muita luz para germinar e temperatura de 15 a 40º C.

Nota: É hospedeira de nematoides.

UTILIZAÇÃO: Erva daninha, bastante presente em jardins, hortas, terrenos baldios, buracos nas calçadas, etc.

ERVA-DE-SANTA-LUZIA - Folhas- ( Chamaesyce  hirta (L.) Millsp. )

PROPAGAÇÃO: Por sementes.

PLANTA MEDICINAL: Tem propriedades medicinais antissépticas e é utilizada no tratamento de algumas doenças.

ERVA-DE-SANTA-LUZIA - Folhas- ( Chamaesyce  hirta (L.) Millsp. )


FOTOS DESTA POSTAGEM: Fotografei na chácara onde moro em Mogi Mirim - SP.

27 de jan de 2018

CÓLEUS, CORAÇÃO-MAGOADO - ( Solenostemon scutellarioides (L.) )

CÓLEUS, CORAÇÃO-MAGOADO - (  Solenostemon scutellarioides (L.) )

NOME CIENTÍFICO
Solenostemon scutellarioides (L.)

NOME POPULAR: cóleus, coração-magoado.

SINONÍMIAColeus blumei, Ocimum scutellarioides, Solenostemom blumei.

FAMÍLIA: Labiatae (Lamiaceae)

CICLO DE VIDA: Perene.

Nota: Apesar de perene é cultivada como bienal, pois a planta perde o vigor inicial, fica espigada e feia.

ORIGEM: Java.

Nota: É encontrada uma grande quantidade de plantas híbridas, que foram desenvolvidas em laboratórios, sendo utilizado o cruzamento de muitas espécies do mesmo gênero.

PORTE: De 40 a 90 cm de altura.

FOLHAS: Bastante ornamental, de coloração bem variada, com diversas tonalidades de verde e vermelho, algumas também com roxo e amarelo.
 
CÓLEUS, CORAÇÃO-MAGOADO - (  Solenostemon scutellarioides (L.) )
FLORES: As inflorescências são compostas de pequenas flores de coloração azul e branca, despontam na parte terminal da planta e não tem grande efeito ornamental.
 
CÓLEUS, CORAÇÃO-MAGOADO - (  Solenostemon scutellarioides (L.) )
LUMINOSIDADE: Meia-sombra e sol pleno.

ÁGUA: Aprecia solo mantido sempre úmido, mas não encharcado, regar de 2 a 3 vezes por semana, variando a quantidade conforme o clima.

CLIMA: Prefere clima quente e úmido e não tolera geada.

PODA: Folhas e inflorescências secas podem ser cortadas, evite arrancar para não deixar o caule exposto deixando uma “porta aberta” para entrada de doenças.

CULTIVO: Deve se cultivado em solo com boa drenagem, no caso de solo argiloso, deve ser removida uma camada e misturar areia grossa de construção e composto orgânico.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio das mudas misturar no substrato, esterco animal sempre muito bem curtido ou composto orgânico.

UTILIZAÇÃO: Fica muito bonita quando usada em maciço e bordaduras.

PROPAGAÇÃO: A multiplicação é realizada por estacas-ponteiro e sementes.

PREÇO: Na Garden Pronta Flora em Holambra / SP, estava sendo vendida por R$ 3,50.
CÓLEUS, CORAÇÃO-MAGOADO - (  Solenostemon scutellarioides (L.) )

FOTOS DESTA POSTAGEM: Fotografei em Holambra / SP.

12 de jan de 2018

PALMEIRA REAL – COMO FAZER MUDAS


COLETA DE SEMENTES: Quando verificar que as sementes estão maduras, 
(algumas começarem a cair e se espremendo com os dedos despolpa fácil), cortar um cacho e soltar uma a uma.

Nota: Não pegar as que estão no solo, porque poderão estar apodrecidas, comidas por insetos, etc.)

PREPARO DAS SEMENTES: Para amolecer e facilitar despolpamento, deixar mergulhadas em água durante 2 a 3 dias, trocando a água diariamente. Em seguida com ajuda de uma peneira grande de baixo de água corrente esfregue de forma que toda polpa seja retirada.

Nota: Não deixe a semente secar, plante logo que foi realizado o despolpamento.

CAIXA DE GERMINAÇÃO: Em uma caixa grande coloque areia grossa de construção bem lavada, que poderá ser misturada a serragem curtida na proporção ½ a ½. 

Nota: Poderá ser usada bandejas, onde são colocadas as sementes em células individuais e também no caso de colocar em sacos de mudas maiores pode ser usada terra vegetal peneirada.

Espalhe as sementes de forma que não fiquem sobrepostas, nem muito encostadas, cubra em seguida com uma camada de 2cm de areia, ou enterre cerca do mesmo tamanho da semente.

Mantenha o substrato sempre úmido regando diariamente sem encharcar.

GERMINAÇÃO: No prazo de 30 a 90 dias irá ocorrer à germinação, que será em torno de 50 a 80%.

Nota: Se depois de 4 meses se alguma semente não germinou poderá ser jogada fora.

PLANTIO DAS MUDAS

Quando estiverem com 2 folhas e com mais ou menos 10 cm, poderão ser passadas para o saco de mudas.

Prepare o Substrato: 3 partes de terra comum de jardim de boa qualidade, 2 partes de composto orgânico e 1 parte de areia grossa de construção, misture bem.

Saco Plástico: Devem ter pelo menos cerca de 15 cm de altura por 8 cm de diâmetro.

Plantio da Muda: Plante a muda cobrindo até cerca de 1cm acima da semente.
Deixe em local protegido por sombrite 50% e mantidos sempre úmidos mas não encharcados.

Nota: Em 6 a 8 meses, ou quando tiverem cerca de 30-40 cm de altura, estarão prontas para irem para o lugar definitivo.

8 de jan de 2018

Alstroemeria - Flor de corte

Existe uma variedade muito grande de Alstroemeria hybrida, muito utilizadas como flores de corte em arranjos florais.
Aqui uma pequena amostra das variedades que podem ser encontradas no Veiling Holambra, que não vende no varejo somente em  grandes lotes, mas poderão ser encontradas em floriculturas e atacatistas de todo país.

Para quem desejar conhecer um pouco sobre essa maravilhosa planta, clique no link abaixo: 

Alstroemeria hybrida - Alstroemeria Bellevue



 Alstroemeria hybrida - Alstroemeria Albatroz

Alstroemeria hybrida - Alstroemeria Audrey

Alstroemeria hybrida - Alstroemeria Alpine

Alstroemeria hybrida - Alstroemeria Ajax

Alstroemeria hybrida - Alstroemeria Alyna

Alstroemeria hybrida - Alstroemeria Amulet

Alstroemeria hybrida - Alstroemeria Angelina

Alstroemeria hybrida - Alstroemeria Avalanche

4 de jan de 2018

CONGO FIG - ( Dorstenia Elata )


Espécie em extinção.

CONGO FIG - ( Dorstenia Elata )

NOME CIENTÍFICODorstenia elata.

NOME POPULAR: Congo Fig.

SINONÍMIADorstenia longifolia, Dorstenia plumeriifolia, Dorstenia sucrei.

FAMÍLIA: Moraceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Brasil - Mata Atlântica, nos estados do Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

PORTE: Normalmente 40-50 cm, no seu local de origem chega atingir dimensões maiores.

FOLHAS: São reativamente grandes, lustrosas, de coloração verde escuro, medem cerca de  25 cm de comprimento por 11 cm de largura.

CONGO FIG - ( Dorstenia Elata )
CONGO FIG - ( Dorstenia Elata )

FLORES: São bastante incomuns, parece um “fungo estranho”, despontam acima das folhas.


CONGO FIG - ( Dorstenia Elata )
LUMINOSIDADE: Sombra ou luz filtrada por plantas maiores, gosta de boa luminosidade mas não da luz solar nas horas mais quentes do dia.

ÁGUA: Aprecia substrato úmido, mas nunca encharcado, regar quando ele estiver quase seco.

CLIMA: Gosta de clima quente e úmido.

PODA: Não necessária, mas folhas secas podem ser cortadas.

CULTIVO: Utilize substrato que tenha boa drenagem e rico em matéria organica
 
CONGO FIG - ( Dorstenia Elata )
FERTILIZAÇÃO: Aplique NPK 10-10-10, de 1 a 3 colheres de sopa, conforme tamanho da planta/vaso, sempre ao redor do caule, nunca junto a ele, incorpore levemente com cuidado para não danificar as raízes e regue em seguida.

UTILIZAÇÃO: Fica bonita em Jardins Tropicais, fazendo composição com outras plantas maiores que irão lhe proporcionar a sombra que gosta.

PROPAGAÇÃO: Por sementes.

PLANTA TÓXICA: Cuidado com crianças pequenas e animais domésticos, a seiva dessa planta é irritante para pele e olhos.


FOTOS DESTA POSTAGEM: Gentilmente cedidas por Laércio Sousa.