7 de mai. de 2021

TREVO OXALIS SPIRALIS

Herbácea bulbosa.

 

TREVO ROXO

NOME CIENTÍFICO: Oxalis spiralis


Nota: Existe algumas cultivares com folhas com coloração com tonalidades de roxo mescladas de rosa.

 

NOME POPULAR: trevo-amarelo, trevo-roxo.

 

FAMÍLIA: Oxalidaceae.

 

CICLO DE VIDA: Perene.

 

ORIGEM: América Central

 

PORTE: Até 15 cm de altura.

 

FOLHAS: Pequenas e formadas por três folíolos de coloração marrom/arroxeada

 


FLORES: São de coloração amarelo-ouro, composta de 5 pétalas dispostas de forma estreladas, despontam na primavera e verão.

Trevo flores amarelas


LUMINOSIDADE: Sol pleno.

 

ÁGUA: Manter o substrato úmido, mas não encharcado, regar duas vezes por semana.

 

Nota: Depois que florir o bulbo pode continuar na terra, mas passe a regar uma vez por semana durante os próximos cinco meses, após isso, deixe de regar, o bulbo irá entrar em dormência e voltará a brotar na primavera.


CLIMA: Prefere clima ameno.

 

CULTIVO: Plantar o bulbo numa profundidade de 2 a 3 cm, com espaçamento de 5 X 5 cm, em substrato rico em matéria orgânica, com boa drenagem e mantido úmido. Sugestão de mistura: 2 partes de composto orgânico, 1 parte de terra comum de jardim, 1 parte de terra vegetal.

                                                                                                                                                                                                                                             

PLANTA TÓXICA: Todas partes da planta são tóxicas.

                                                                                                                          

 

FERTILIZAÇÃO: No final do inverno quando está terminando a dormência fazer uma aplicação de NPK, fórmula 04-14-08, 6 colheres de sopa por metro quadrado.

 

UTILIZAÇÃO: Fica bonito em vasos e jardineiras suspensas, frestas de muro e forração, desde que não tenha pisoteio.


PROPAGAÇÃO: Por separação e bulbos que estão aglomerados. 

 

PREÇO: Em Holambra / SP estava sendo comercializado por R$6,50 (07/05/2021)

27 de abr. de 2021

CIPRESTE-DE-MONTEZUMA, AHUEHUETE - ( Taxodium huegalli )

 

cipreste-de-Montezuma, ahuehuete

Taxodium huegelii



A árvore Tule é um ahuehuete (Taxodium huegelii) localizado em Santa María de Tule (Oaxaca, México) com idade calculada de cerca de 2.000 anos, tem 41m de altura, seu tronco de 42m de circunferência e um peso aproximado de 636 toneladas.

Crédito da Imagem: CRCiencia.


NOME CIENTÍFICO: Taxodium huegelii.

SINONÍMIA: Taxodium mucronatum.

NOME POPULAR: cipreste-de-Montezuma, ahuehuete.

Nota: O nome popular ahuehuete, muito poucas pessoas no mundo a conhecem assim. A tradução grosseira seria: "velho homem da água".

FAMÍLIA: Cupressaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Guatemala, México e Estados Unidos.

PORTE: Até 40 metros de altura.

 

TRONCO: De 1 a 3 metros de diâmetro, mas existem com dimensões bem maiores.




FOLHAS: São dispostas em espiral, retorcidas na base, dispostas em duas fileiras horizontais, medindo cerca de 1 a 2 cm de comprimento, por 1 a 2 mm de largura.





FRUTOS: São cones ovoides, com 1,5 a 2,5 cm de comprimento e 1 a 2 cm de largura.

FLORES:

LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA:

CLIMA:

PODA:

CULTIVO:

FERTILIZAÇÃO:

UTILIZAÇÃO: É usada ​​como árvore ornamental desde os tempos pré-colombianos. Os Astecas plantaram ao longo das estradas.



PLANTA MEDICINAL: Sua resina era utilizada pelos Astecas para tratar úlceras, doenças de pele, feridas, gota e dores de dente. Uma decocção (processo muito usado no preparo de chás com a casca era usada como diurético. As folhas atuam como relaxantes e ajudam a reduzir a coceira.

PROPAGAÇÃO:



IMAGENS: Foram feitas no Jardim Botânico de Roma na Itália.

21 de abr. de 2021

HERA-SUECA - ( Plectranthus verticillatus )


NOME CIENTÍFICOPlectranthus verticillatus.

NOME POPULAR: hera-sueca, dólar.

Nota: Apesar de ser conhecida por algumas pessoas por hera-sueca, não é uma hera e nem da Suécia.

FAMÍLIA: Lamiaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Moçambique, África do Sul.

PORTE: Atinge de 15 a 20 cm de altura, mas pendente chega atingir 60 cm de comprimento.

FOLHAS: Simples, espessas, coriáceas (duras como couro), suculentas, cerosas,  denteadas, glabras (sem pelos), ovalado-arredondadas, face superior de coloração verde médio brilhante e inferior verde mais claro opaco.

 




Nota: Exista a forma ‘Variegatus’, com folhas verdes e manchas brancas.

FLORES: Inflorescências terminais eretas e curtas com muitas flores de tamanho pequeno e coloração branca / rosada, salpicada de pontinhos arroxeados



LUMINOSIDADE: Prefere cultivo a meia sombra.

ÁGUA: Gosta de substrato mantido úmido, mas não encharcado, regar de 2 a 3 vezes por semana, mas sempre veja se há necessidade, pois conforme o substrato e temperatura pode variar.

CLIMA: Subtropical, mas tolerante ao calor tropical.

PODA: Não necessária, apenas podas de estética, com a retirada de ramos e folhas secas.

CULTIVO: De fácil manutenção, gosta de solo rico em matéria orgânica e que tenha boa drenagem.

FERTILIZAÇÃO: Aplicar NPK 04-14-08 ou 10-10-10, de preferência o líquido, que é misturado na água, siga as instruções do fabricante (a informação está na embalagem) pois pode haver variações.

UTILIZAÇÃO: Ideal para compor cortinas em cascatas, se deixada crescer pendente, ou mesmo em cachepôs ou beirais de janelas. Também pode ser usada como forração desde que não haja pisoteio.

PROPAGAÇÃO: Pela separação da ramagem, com segmentos que tenham raízes e por sementes, podendo ser feita em qualquer época do ano.

PREÇO: Estava sendo comercializada por R$9,95 (21/04/2021) na Garden Pronta Flora em Holambra / SP.



IMAGENS: Feitas em Holambra / SP.




18 de abr. de 2021

Pereskia aculeata var. 'Godseffiana'


Trepadeira de crescimento rápido. 

NOME CIENTÍFICOPereskia aculeata var. 'Godseffiana'

NOME POPULAR: ora-pro-nóbis-dourada, trepadeira-limão.

FAMÍLIA: Cactaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM:

PORTE: Seus ramos podem atingir cerca de 10 metros de comprimento.

TRONCO:

FOLHAS: Essa variedade ‘Godseffiana’ tem uma espetacular coloração amarela intensa em suas folhas, principalmente nas mais novas, certamente é a mais ornamental das espécies Pereskia.






FLORES: Dispostas em panículas terminais (cachos)



FRUTOS: São comestíveis, do tipo bagas arredondadas, com espinhos finos, quando estão maduros apresentam coloração amarelo escuro. Sua polpa é amarelada e doce, envolvendo de 2 a 4 sementes de coloração preta acastanhada.

LUMINOSIDADE: Sol pleno, meia-sombra.

ÁGUA: As regas devem ser moderadas, não há necessidade de regar todos os dias, pois a planta é uma cactácea, deixe secar entre regas.



CLIMA: Prefere clima tropical e subtropical, não resiste bem as fortes geadas.

PODA: Para estimular novas brotações de grande valor ornamental podas regulares devem ser realizadas.



CULTIVO: Gosta de solo rico em matéria orgânica, bem solto, com boa drenagem e mantido úmido.

FERTILIZAÇÃO: Se for utilizada para consumo, o ideal será aplicar esterco animal, sempre muito bem curtido ou húmus de minhoca, se for apenas como ornamental o melhor seria o NPK 04-14-08.

UTILIZAÇÃO: Além de sua utilização como planta alimentícia, fica maravilhosa como ornamental pelas suas espetaculares floradas e folhas.



PANC: Suas folhas, flores frescas e frutos maduros e de vez são utilizados no uso culinário.

PROPAGAÇÃO: Pode ser feita por sementes, que germinam com certa facilidade em até 40 dias, mas a melhor forma de propagação é por estacas que tenham de 1 a 2 cm de diâmetro, pois dessa forma a planta começa a frutificar com 2 anos após o plantio.



PREÇO: A cesta (CA21) estava sendo comercializada por R$ 13,00 (21/04/2021) na Pronta Flora em Holambra / SP.

IMAGENS: As das flores foram feitas em minha residência em Holambra / SP.


VÍDEOhttps://youtu.be/hccO3k1noEA

15 de abr. de 2021

Plantas de Ar - Mini Tillandsia

 ATENÇÃO: Postagem em Construção - Aguardem



NOME POPULAR: mini-bromélia-tillandsia.

FAMÍLIA: Bromeliaceae

RAIZ: Não tem sistema radicular, apenas algumas centrais duras como um "prego".

Nota: A planta não precisa de lugar para se fixar, se simplesmente for largada num prato, ela continuará a prosperar.

ÁGUA: Toda água necessária para sua sobrevivência , é absorvida pelas folhas.  

Nota 1: Mergulhe toda planta durante 1 hora em água sem cloro, na temperatura ambiente, (se conseguir armazenar água de chuva será muito melhor). Em épocas de muito frio aqueça ligeiramente a água, deixando morna. Vire a planta de cabeça para baixo e sacuda para retirar o excesso de água. Regue pela manhã para dar tempo da planta secar durante o restante do dia.

Nota 2: Não mantenha a planta permanentemente úmida, porque é também pelas folhas que a planta respira, portanto deixe secar completamente entre regas.

LUMINOSIDADE: Precisa de muita claridade, para obter resultados positivos coloque em lugar que receba bastante luz e até pode receber um pouco de sol, logo no início do dia e no fim da tarde.

UTILIZAÇÃO: Fica maravilhosa para decorar ambientes junto com outras mini plantas ou em destaque em globos de vidro, conchas, pedras, etc. 




PRODUTOR NO BRASIL: Área Verde - Feita através do Veilling Holambra

4 de abr. de 2021

NIRÁ - Ornamental

 


Herbácea rizomatosa

NOME CIENTÍFICO: Allium ramosum. 

Nota: Alguns botânicos colocam a variante cultivada como Allium tuberosum.

NOME POPULAR: nirá, nira, cebolinha-chinesa, cebolinha-achatada, cebolinha-chata, alho de folha, alho-oriental.

FAMÍLIA: Amaryllidaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Leste da Ásia e nordeste da Índia.

PORTE: Pode atingir até 70 centímetros de altura.

TRONCO: Acaule.

FOLHAS: De coloração verde médio, achatadas parecidas com as gramíneas, nas regiões de clima temperado, durante o inverno a planta perde suas folhas.



FLORES: As inflorescências são umbelas terminais, que se formam em longas hastes bem acima das folhas, as flores são brancas e as sementes já podem ser vistas.



LUMINOSIDADE: Sol pleno, meia-sombra.

ÁGUA: Gosta de substrato úmido, mas não encharcado.

CLIMA: Aceita bem de clima quente e úmido a temperado.

PODA: Se for cultivada como planta ornamental as folhas secas devem ser retiradas.

CULTIVO: Gosta de solo rico em matéria orgânica, bem solto, com boa drenagem e mantido úmido.

FERTILIZAÇÃO: Se for utilizada para consumo, o ideal será aplicar esterco animal, sempre muito bem curtido ou húmus de minhoca.

UTILIZAÇÃO: Como ornamental fica muito bonita em jardineiras e vasos.

PANC: Suas folhas e talos dos botões florais são utilizados no preparo de diversos pratos, tem sabor e aroma de alho, mas de forma mais suave.

PROPAGAÇÃO: É propagada por divisão dos rizomas carnosos e por sementes.

PLANTA TÓXICA: Por não ser tóxica, é seguro para quem tem animais de estimação.

PLANTA MEDICINAL: Tem propriedades medicinais.

IMAGENS: Foram feitas em minha residência em Holambra / SP.






2 de mar. de 2021

SAMAMBAIA RUFFLES

Herbácea rizomatosa e entouceirada.


NOME CIENTÍFICO: Nephrolepis exaltata 'Bostoniensis'

 

NOME POPULAR: samambaia ruffles.


FAMÍLIA: Nephrolepidaceae

 

CICLO DE VIDA:  Perene.

 

ORIGEM: Essa é uma planta desenvolvida por melhorias genéticas, a espécie tipo tem origem no sul dos Estados Unidos, ilhas do Caribe e norte da América do Sul.

 

PORTE: Pode atingir até 40–90 centímetros.




TRONCO: Tem um rizoma subterrâneo que é delgado e tuberoso.

LUMINOSIDADE: Sombra, mas em ambiente com bastante claridade sem receber luz solar.

Nota: Apesar de a planta preferir sombra parcial ou sombra total ao ar livre, ela não prospera na sombra quando dentro de casa e responde melhor à luz filtrada brilhante.

 

ÁGUA: Manter o substrato úmido, mas não encharcado.

 

Nota: Quando a umidade relativa do ar cai abaixo de 80%, é necessário nebulizar a planta.

 

CLIMA: Prefere clima quente e úmido.

 

PODA: Não necessária, apenas a retirada de folhas secas.




CULTIVO: Gosta de solo rico em matéria orgânica, bem solto, com boa drenagem e mantido úmido.

 

FERTILIZAÇÃO: Aplicar NPK 10-10-10, de preferência a fórmula líquida, diluída em água conforme informado pelo fabricante.

 

UTILIZAÇÃO: Fica muito bonita em jardineiras e vasos suspensos


PROPAGAÇÃO: É propagada por divisão dos estolhos enraizados.

 

Nota: Os cultivares não produzem esporos verdadeiros.

  

PLANTA TÓXICA: Por não ser tóxica, é seguro para quem tem animais de estimação.

 

Nota: Os cultivares não produzem esporos verdadeiros

 

PRAGAS E DOENÇAS: Suscetível ao ataque de lagartas, podem ser retiradas manualmente se forem poucas ou aplicar inseticida próprio para plantas, que é encontrado já pronto em frascos com gatilho para spray.

 

PREÇO: R$ 16,50 (CA21) – Fevereiro/2021 – Garden Pronta Flora.

 


FOTOS DESTA POSTAGEM: Fiz em Em Holambra / SP.

5 de fev. de 2021

PEIXINHO-DA-HORTA - ( Stachys byzantina ) - PANC

 


NOME CIENTÍFICOStachys byzantina.

Nota: Existe uma série de cultivares, onde foram feitas modificações como no tamanho das folhas, porte da planta, sem produção de hastes florais, etc.


NOME POPULAR: peixinho, peixinho-da-horta, lambari-da-horta, orelha-de-lebre, orelha-de-cordeiro, pulmonária.


SINONÍMIA: Stachys olympica, Stachus lanata. 

 

FAMÍLIA: Labiatae (Lamiaceae).

CICLO DE VIDA: Perene.

 

ORIGEM: Turquia, Armênia, Irã e região.

 

PORTE: De 20 a 50 cm de altura.

 

FOLHAS: Bastante ornamental é o destaque principal da planta, grossas e revestidas com pelugem lanosas esbranquiçadas, textura aveludada, agradáveis de se tocar.

 




FLORES: As inflorescências se dão na extremidade de hastes, formada por uma haste ereta, com muitas flores de tamanho pequeno de coloração arroxeada.

 

LUMINOSIDADE: Sol pleno e meia-sombra.

 

ÁGUA: Manter o solo ligeiramente úmido, podendo secar entre regas, nunca encharcar, pois irá matar a planta.


CLIMA: Prefere clima temperado, em regiões mais quentes deve ser cultivada a meia-sombra.

 


PODA: Não necessária, mas hastes com flores secas devem ser removidas e quando a planta perder o vigor inicial pode ser replantada.

 

CULTIVO: Prefere solo rico em matéria orgânica que tenha boa drenagem.

FERTILIZAÇÃO: Aplicar NPK, fórmula 04-14-08, ao redor do caule (nunca junto a ele) incorporar levemente ao substrato e regar em seguida.

Nota: Se for utilizada para consumo aplique composto orgânico em substituição ao adubo químico.

UTILIZAÇÃO: Fica maravilhosa em bordaduras, mas também pode ser cultivada de forma isolada ou agrupada em canteiros mistos.

Nota: Bastante utilizada na culinária, a forma mais utilizadas é sua folha inteira que é frita a milanesa, mas também com elas picadas na preparação de omeletes e molho de macarrão, tem um sabor que lembra um peixe frito. 

Curiosidade: Ela é conhecida como “papel higiênico de escoteiro” pois são utilizadas com esta finalidade


PROPAGAÇÃO: Por divisão da planta (brotações laterais devem ser destacadas com um pouco de raiz) e também por sementes.

 

PLANTA MEDICINAL: Tem propriedades medicinais.

 

FOTOS DESTA POSTAGEM: Fotografei em Holambra / SP. 

29 de jan. de 2021

ÁLOE-DAS-DUNAS - ( Aloe thraskii )

 

Suculenta arbustiva




NOME CIENTÍFICOAloe thraskii.

 

Nota: Existem mais de 100 espécies de Aloe.


NOME POPULAR: áloe-das-dunas, babosa-gigante, bobosa-arbórea, babosa-da-costa.

 

FAMÍLIA: Asphodelaceae.

 

CICLO DE VIDA: Perene.

 

ORIGEM: África do Sul (nordeste e sudeste).

 

PORTE: Chega atingir 3 metros de altura.

 

FOLHAS: De coloração verde-acinzentada, longas, cerosas, bem carnudas, seiva transparente (semelhante a um gel), curvadas e acanaladas, as margens são dentadas com espinhos cartilaginosos.

 

FLORES: A florada acontece no inverno, em plantas adultas, são inflorescências altas, (80 cm de altura), com quatro hastes florais contendo cerca de até 25 ramificações, com numerosas flores de formato tubular e coloração amarelo ouro. É bastante atrativa para beija-flores e outros pássaros polinizadores.

 

 

TRONCO: Seu caule único, é lenhoso e delgado.

 

Nota: Dificilmente forma touceira.

 

LUMINOSIDADE: Sol pleno ou meia-sombra.

 

ÁGUA: Tolera o solo seco, mas nunca encharcado. Deixar secar entre regas, que pode ser feita 1 vez por semana, com volume maior nos dias quentes e menos nos dias frios.


CLIMA: Quente a temperado, não gosta de temperaturas muito fria e morre com geadas intensas.

Nota: Aprecia condições climaticas litorâneas.

 

PODA: As folhas secas, com finalidade estetica podem ser cortadas.

 

CULTIVO: Planta bastante rústica, resiste bem a ventos fortes e não é muito exigente em questão de solo, único detalhe muito importante se for cultivado no jardim tem que ter boa drenagem. 

 


FERTILIZAÇÃO: Não é muito exigente quanto a fertilização, prospera em áreas secas e de solo ruim. Mas para obter uma planta mais vistosa  aplique 3 vezes por ano NPK, se for granulado, a fórmula 04-14-08, 1 colher de sopa para mudas pequenas e 3 para mudas maiores sempre ao redor do caule nunca junto a ele.

 

UTILIZAÇÃO: Fica muito bonita num jardim de pedras, como planta de destaque  ou em conjunto com outras plantas suculentas, principalmente na época da florada, terá um efeito ornamental magnífico.

 

Nota: Também pode ser cultivada em vasos.


PROPAGAÇÃO: Por sementes e separação de brotações laterais.

 

PLANTA MEDICINAL: Tem propriedades medicinais.

 

PREÇO: Em Holambra/ SP estava sendo comercializada a R$ 170,00 (jan/2021).