Atenção leitores

Não trabalho com venda de plantas e não envio sementes.
COMENTÁRIOS - Peço desculpa. Infelizmente não estou conseguindo responder os comentários no tempo devido, na medida do possível vou fazendo
Os comentários passam por moderação e não são publicados de imediato, não serão aceitos comerciais.

FEEDBACK - Agradeço o recebimento de quem tem informações adicionais sobre as plantas postadas neste blog, especialmente se não concordarem com o que tenho escrito ou se têm dicas culturais adicionais, pois isso certamente ajudaria a todos.

31 de out. de 2011

IPOMÉIA-RUBRA - ( Ipomoea horsfalliae )


Trepadeira semi-lenhosa.
IPOMÉIA-RUBRA - ( Ipomoea horsfalliae )

IPOMÉIA-RUBRA - ( Ipomoea horsfalliae ) - Detalhe da flor

NOME CIENTÍFICO: Ipomoea horsfalliae.

NOME POPULAR: Ipoméia-rubro, trepadeira-cardeal.

FAMÍLIA: Convolvulaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Índia Oriental.

PORTE: Por ser uma trepadeira volúvel, seus ramos atingem dimensões não definidas.

FOLHAS: De coloração verde-escuro e brilhantes, elas são perenes, tendo de cinco a sete folíolos .

IPOMÉIA-RUBRA - ( Ipomoea horsfalliae )
IPOMÉIA-RUBRA - ( Ipomoea horsfalliae ) - Detalhe do folíolo página inferior
IPOMÉIA-RUBRA - ( Ipomoea horsfalliae- Detalhe da folha
FLORES: Bastante vistosas, afuniladas, de coloração vermelho-bordô, brilhantes e consistência cerosa. Beija-flores e borboletas estão sempre presentes.
IPOMÉIA-RUBRA - ( Ipomoea horsfalliae )

Nota: Não tão comuns, existem variedade com flores de coloração branco-róseas, roxas,  rosa-arroxeadas.
IPOMÉIA-RUBRA - ( Ipomoea horsfalliae )
TRONCO: Com o passar do tempo seus ramos torna-se semi-lenhosos.
IPOMÉIA-RUBRA - ( Ipomoea horsfalliae ) - Detalhe caule lenhoso.

LUMINOSIDADE: Sol pleno ou meia-sombra.

ÁGUA: Não descuidar da rega em sua fase inicial, regue 2 vezes por semana, sem encharcar.

CLIMA: Prefere clima quente e úmido.

PODA: Para estimular belas floradas e controlar seu crescimento, devem ser realizadas podas, sempre após o florescimento a época ideal. Aceita inclusive podas drásticas.

CULTIVO: Aprecia solo rico em matéria orgânica que tenha boa drenagem. É uma planta de crescimento moderado e de baixa manutenção. Os cuidados devem ser dispensados principalmente no primeiro ano enquanto a planta ainda é mais frágil, depois disso torna-se bastante rústica. Sugestão de mistura:1 parte de terra comum de jardim,1 parte de terra vegetal e 1 parte de composto orgânico.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio, incorporar ao solo esterco animal ou NPK fórmula 04-14-08,10 colheres de sopa bem misturados a terra retirada.

UTILIZAÇÃO: Destinada a revestimento de caramanchões, treliças, cercas, grades e pérgulas. O cultivo em vasos e jardineiras há necessidade da colocação de suportes de apoio.
IPOMÉIA-RUBRA - ( Ipomoea horsfalliae )
PROPAGAÇÃO: Por estaquia, alporquia e sementes.

PREÇO: Em Holambra /SP a muda ensacada estava sendo comercializada por R$ 25,50.
IPOMÉIA-RUBRA - ( Ipomoea horsfalliae )  - Muda comercializada
FOTOS DESTA POSTAGEM: Fotografei em Jacutinga / MG e Holambra / SP.

30 de out. de 2011

RUSSÉLIA, FLOR-DE-CORAL - ( Russelia equisetiformis )


Semi-herbácea.

RUSSÉLIA, FLOR-DE-CORAL - ( Russelia equisetiformis )
NOME CIENTÍFICO: Russelia equisetiformis.

Nota: Existe mais de 70 espécies de Russelia.

NOME POPULAR
: Russélia, flor-de-coral.

SINONÍMIA
: Russelia juncea.

FAMÍLIA: Plantaginaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: México.

PORTE: Seus ramos são longos e arqueados, chegam a medir mais de 1metro de comprimento.

RUSSÉLIA, FLOR-DE-CORAL - ( Russelia equisetiformis ) - Ramos compridos
FOLHAS: Bem finas e de formato lanceolado.

RUSSÉLIA, FLOR-DE-CORAL - ( Russelia equisetiformis ) - Folhas finas
FLORES: Praticamente o ano inteiro, tem formato tubular e é encontrada na coloração vermelha, branca e amarela. Atrai beija-flor e borboletas.

RUSSÉLIA, FLOR-DE-CORAL - ( Russelia equisetiformis ) - Detalhe das flores
FRUTOS: De importância ornamental secundária, são do tipo cápsula.

TRONCO: Ramos filiformes bastante ramificados.

LUMINOSIDADE: Sol pleno ou meia-sombra.

ÁGUA: Prefere solo úmido, mas não encharcado, regar duas vezes pó semana. Não tolera estiagens prolongadas.

CLIMA: Quente a ameno. Tolera o frio, ao vento e a salinidade de cidades a beira-mar.

PODA: Pode ser realizada,de preferência no inverno.

CULTIVO: Bastante rústica, aprecia solo areno-argiloso. Sugestão de mistura: 1 parte de terra comum de jardim,1 parte de areia grossa de construção, 1 parte de terra vegetal e 1 parte de composto orgânico.

FERTILIZAÇÃO: Para uma florada mais intensa, por ocasião do plantio misturar ao solo,NPK, fórmula 04-14-08, 5 colheres de sopa por metro quadrado. Depois aplique de 3 a 4 vezes por ano, cerca de 1 colher de sopa sempre ao redor do caule, nunca junto a ele.

UTILIZAÇÃO: Fica espetacular em jardineiras e jardins que tenham partes mais altas de forma deixar seus ramos pendesntes.


RUSSÉLIA, FLOR-DE-CORAL - ( Russelia equisetiformis )
PROPAGAÇÃO: Por divisão de touceiras, sementes e estaquia.


NOVAS FOTOS


RUSSÉLIA, FLOR-DE-CORAL - ( Russelia equisetiformis )
RUSSÉLIA, FLOR-DE-CORAL - ( Russelia equisetiformis )
RUSSÉLIA, FLOR-DE-CORAL - ( Russelia equisetiformis )

 FOTOS DESTA POSTAGEM: Fotografei em Mogi Mirim - SP.

29 de out. de 2011

DEDALEIRO, PACARI - ( Lafoensia pacari )


Lafoensia pacari
DEDALEIRO, PACARI - ( Lafoensia pacari )
NOME CIENTÍFICOLafoensia pacari St. Hil.

NOME POPULAR
dedaleiro, dedal, pacari, pacuri, mangabeira-brava, mangava-brava, candeia-de-caju, dedal, copinho, louro-da-serra, pau-de-bicho.

SINONÍMIA: Lafoensia sessilifolia.

FAMÍLIA: Lythraceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Brasil.

PORTE: DE 10 a 18 metros de altura.

FOLHAS: Simples, com 8 a 15 cm de comprimento, com nervuras bem definidas, pecioladas (haste que une a bainha ao ramo) ou sésseis (sem haste de sustentação, ligada diretamente).

Folha do Dedaleiro, Pacari
DEDALEIRO, PACARI - ( Lafoensia pacari ) - Detalhe da folha
Folhas  Lafoensia pacari
DEDALEIRO, PACARI - ( Lafoensia pacari ) - Detalhe das folhas
FLORES: Floresce no final da primavera / começo do verão, no Brasil, durante os meses de outubro a dezembro.



DEDALEIRO, PACARI
DEDALEIRO, PACARI - ( Lafoensia pacari ) - Detalhe da flor
FRUTOSSeco, tipo cápsula lenhosa, deiscente (abrem quando maduro).

Sementes Lafoensia pacari
DEDALEIRO, PACARI - ( Lafoensia pacari ) - Detalhe do fruto e sementes
TRONCO: Com 30 a 60 cm de diâmetro. Produz uma madeira de excelente qualidade.

Tronco  Lafoensia pacari
DEDALEIRO, PACARI - ( Lafoensia pacari ) - Detalhe do tronco
LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA: Manter o solo ligeiramente úmido, mas não encharcado, não descuidando da rega enquanto a planta for jovem, regar 2 vezes por semana. Uma vez estabelecida, regar no caso de estiagens ou 1 vez por semana.

CLIMA: Quente a Temperado.

PODA: Fazer poda de formação, retirando brotações laterais e galhos mal formados.

CULTIVO: De desenvolvimento moderado, para atingir 3 metros de altura, leva mais de 2 anos.

FERTILIZAÇÃO: Para uma cova de 40 x 40 cm misture bem na terra retirada, cerca de 20  litros de esterco de gado bem curtido ou  5 litros de esterco de galinha. Na dificuldade de ter esterco, substitua por composto orgânico ou húmus de minhoca. Também pode ser utilizado NPK, fórmula 10-10-10 ou 04-14-08, 10 colheres de sopa.

UTILIZAÇÃO: Devido suas flores serem bastante ornamentais e não ter raízes agressivas, está sendo utilizada na arborização urbana, além do plantio em reflorestamento em áreas degradadas. 

arvore flor parace um sino
DEDALEIRO, PACARI - ( Lafoensia pacari ) - Nas calçadas
PROPAGAÇÃO: Por sementes, que germinam em 10 a 15 dias.

PLANTA MEDICINAL Tem propriedades medicinais sendo utilizada no tratamento de algumas doenças,principalmente na medicina popular.

FOTOS DESTA POSTAGEM: Fotografei em Mogi Mirim - SP



DEDALEIRO, PACARI

Lafoensia pacari

28 de out. de 2011

CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cassia fistula )


Árvore ornamental.
CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cassia fistula )
NOME CIENTÍFICO: Cassia fistula.

NOME POPULAR: Cássia-imperial, chuva-de-ouro, cássia-fistula.

SINONÍMIA: Cassia fistuloides, Cathartocarpus fistuloides, Cassia excelsa, Cathartocarpus excelsus, Cathartocarpus excelsus.

FAMÍLIA: Fabaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Sudeste da Ásia.

PORTE: De 5 a 10 metros de altura.

FOLHAS: São pinadas, variando de 4 a 8 pares de folíolos. De coloração verde na página superior e verde pálido na inferior. Perde suas folhas no inverno.


CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cassia fistula ) - Folíolo página (face) superior

CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cassia fistula ) - Folíolo página (face) inferior

FLORES: Entre a primavera e o verão surge belas inflorescências tipo racemo (grandes cachos) que medem até 30 cm de comprimento com muitas flores amarelas que vão abrindo gradualmente.

CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cassia fistula ) - Detalhe das flores

FRUTOS: De formato cilíndrico, de coloração marrom, com até 100 sementes. 

TRONCO: Pode ter formação simples ou múltiplo, de copa arredondada.
CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cassia fistula ) - Detalhe do Tronco
LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA: Quando jovem fazer regas de 2 vezes por semana, sem deixar o solo encharcado. Uma vez estabelecidas suporta estiagens curtas.

CLIMA: Prefere clima quente e úmido.

PODA: Fazer poda de formação, retirando brotações laterais e ramos secos ou mal formados.

CULTIVO: Prefere solo areno-argiloso.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio, misture na terra retirada da cova cerca de 20 a 30 litros de esterco de gado bem curtido ou NPK fórmula 04-14-08, cerca de 10 colheres de sopa, após 1 ano aplicar de 3 a 4 vezes por ano, formando um circulo, na projeção da copa 3 colheres de sopa, indo aumentando com o crescimento da planta:  3º ano = 6 colheres, 4º ano = 8 colheres de sopa.

UTILIZAÇÃO: Por não apresentar raízes agressivas, é muito utilizada na arborização urbana, em ruas e praças.Também fica maravilhosa em jardins residenciais de porte médio.

CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cassia fistula ) - Nas calçadas
PROPAGAÇÃO: É feita por sementes. Para se obter uma boa germinação, precisa ter a “quebra de dormência” que é realizada através de escarificação e outros processos.

PLANTA MEDICINAL: Tem propriedades medicinais, mas deve ser administrada na quantidade correta com indicação médica.

PLANTA TÓXICA: Apesar da polpa dos frutos serem comestíveis, as sementes são tóxicas.

PREÇO: Uma muda de 80cm estava sendo comercializada por R$ 8,00.


NOVAS FOTOS: Mogi Mirim - SP:

CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cassia fistula )
CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cassia fistula )
Adicionar CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cassia fistula )


NOVAS FOTOS: Holambra / SP 


CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cássia fistula )
CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cássia fistula ) - Vagens cilíndricas medindo em média 0,5 metro
CÁSSIA-IMPERIAL, CHUVA-DE-OURO - ( Cássia fistula ) - Vagem aberta e sementes
 

27 de out. de 2011

GRAMA-AMENDOIM - ( Arachis repens )


Herbácea reptante.
GRAMA-AMENDOIM - (Arachis repens)
NOME CIENTÍFICO: Arachis repens.

NOME POPULAR: Grama-amendoim, amendoim-rasteiro, amendoinzinho, amendoim-forrageiro.

FAMÍLIA: Fabaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Brasil.

PORTE: De 10 a 20 cm de altura.

FOLHAS: De coloração verde-escura, são compostas, curtas, com dois pares de folíolos e bastante compactas.
GRAMA-AMENDOIM - (Arachis repens) - Detalhe das folhas
FLORES: Pequenas, de coloração amarela e valor ornamental secundário, bastante delicadas, formam na primavera e verão.

LUMINOSIDADE: Pleno sol ou meia-sombra.

ÁGUA: Aprecia solo úmido, mas não encharcado, regar duas a três vezes por semana, principalmente na fase inicial até que ela se espalhe bem e fique vigorosa, depois regue no caso de estiagem prolongada.

CLIMA: Quente a ameno. Tolera até alguma seca mas não geadas.

 PODA: Não necessária.

CULTIVO: Aprecia solo areno-argiloso, enriquecido com matéria orgânica. É bastante rústica, por ocasião do plantio revolva bem a terra retirando as ervas daninhas do local e acrescente adubo.

FERTILIZAÇÃO: Aplique NPK, fórmula 10-10-10 cerca de 6 colheres de sopa por metro quadrado.

UTILIZAÇÃO: Muito utilizada como forração, cultivada como se fosse um gramado, o efeito é espetacular, tem como ponto positivo a dispensa podas periódicas, só não resiste a pisoteio, também é ótima em taludes íngremes.

PROPAGAÇÃO: Por estolões enraizados, divisão de touceiras e  também por sementes subterrâneas.

PREÇO: Em Holambra /SP, o saquinho com muda, estava sendo comercializado por R$ 0,50.

26 de out. de 2011

AGAPANTO - ( Agapanthus africanus )


Herbácea rizomatosa.

AGAPANTO - ( Agapanthus africanus )
NOME CIENTÍFICO: Agapanthus africanus.

NOME POPULAR: Agapanto, agapantus, lírio-africano.

SINONÍMIA: Crinum africanum.

FAMÍLIA: Agapanthaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: África do Sul.

PORTE: Até 60 cm de altura.

FOLHAS: Longas, laminares, de coloração verde escura.

AGAPANTO - ( Agapanthus africanus ) - Detalhe das folhas próximas ao solo
FLORES: No Hemisfério Sul desponta na primavera entre outubro a dezembro, são maravilhosas inflorescências globosas, com muitas flores, que podem ter coloração branca, azul a lilás. As hastes são longas e as flores bem duráveis.

AGAPANTO - ( Agapanthus africanus ) - Detalhe das flores

AGAPANTO - ( Agapanthus africanus ) - Detalhe das flores ainda em botões

LUMINOSIDADE: Sol pleno ou meia sombra.

ÁGUA: Gosta de solo úmido, mas não encharcado, regar 2 vezes por semana.

Nota: Depois do florescimento, diminuir a rega para 1 vez por semana.

CLIMA: Prefere clima ameno e frio, apesar de ser cultivada com sucesso em regiões com temperaturas um pouco mais elevadas. É resistente a geadas.

PODA: Não necessária. Não cortar as folhas após a florada.

CULTIVO: É uma planta bastante rústica, resistente a doenças, e não é muito exigente quanto a qualidade do solo, mas aprecia solo rico em matéria orgânica. Sugestão de mistura: 01 parte de terra comum de jardim, 01 parte de terra vegetal e 01 parte de composto orgânico. Fazer o plantio numa profundidade de 8 cm e manter um espaçamento de 15 x 15 cm entre plantas. Após o plantio, germina entre 20 a 30 dias.

AGAPANTO - ( Agapanthus africanus ) - Macro das flores
 FERTILIZAÇÃO: No final do inverno aplique NPK, fórmula 04-14-08, 2 colheres de sopa por planta, para estimular grandes floradas.

UTILIZAÇÃO: Bastante utilizada em maciços, bordaduras, ao longo de muros, vasos de tamanho grande e também como flor-de-corte.

AGAPANTO - ( Agapanthus africanus ) - Em vasos grandes
PROPAGAÇÃO: Por divisão de touceiras.

PREÇO: Em Holambra / SP a planta estava sendo vendida por R$ 2,95 e um saquinho com três bulbos (mudas) estava R$ 4,00.

AGAPANTO - ( Agapanthus africanus ) - Planta comercializda


AGAPANTO - ( Agapanthus africanus ) - 3 por R$ 4,00
FLORES PARA CORTE:

Jerry van der Spek é produtor de agapanto para corte, veja o campo de cultivo com florada prevista para acontecer na segunda quinzena de outubro / início de novembro.

Contato:


AGAPANTO - ( Agapanthus africanus ) - Campo de produção

AGAPANTO - ( Agapanthus africanus ) 

Ganhamos de Jerry a primeira flor


Novas Imagens:
AGAPANTO - ( Agapanthus africanus )
AGAPANTO - ( Agapanthus africanus )
AGAPANTO - ( Agapanthus africanus )
Flor Branca
Flor Lilás