Atenção leitores

Não trabalho com venda de plantas e não envio sementes.
COMENTÁRIOS - Peço desculpa. Infelizmente não estou conseguindo responder os comentários no tempo devido, na medida do possível vou fazendo
Os comentários passam por moderação e não são publicados de imediato, não serão aceitos comerciais.

FEEDBACK - Agradeço o recebimento de quem tem informações adicionais sobre as plantas postadas neste blog, especialmente se não concordarem com o que tenho escrito ou se têm dicas culturais adicionais, pois isso certamente ajudaria a todos.

29 de jan. de 2012

MILHO - ( Zea mays)


Olá amigos!

A postagem abaixo é apenas um breve resumo.
Quem deseja conhecer de forma mais detalhada, encontrará facilmente muito material, navegando pela Internet.
Milho - (Zea mays)
NOME CIENTÍFICO: Zea mays

Nota: Existe muitas variedades de milho, entre elas podemos citar: Pipoca – (Zea mays var.everta), Farinha de milho – (Zea mays var. amylacea), Milho Doce – (Zea mays var. saccharata e Zea mays varrugosa).

NOME POPULAR: Milho, abati, auati, avati, corn, maize.

FAMÍLIA: Poaceae - Panicoideae

CICLO DE VIDA: Anual.

ORIGEM: Américas.

Nota: O cultivo do milho já era feito a milhares de anos atrás, pelos Olmecas, Maias, Astecas e Incas.

PORTE: Até 3 metros de altura.

FOLHAS: Compridas, de bordos lisos, dispostas alternadamente ao longo do talo.

Milho - (Zea mays) - Detalhe das folhas

FLORES: Pertence ao grupo de vegetais monóicos, ou seja, que tem flores masculinas e femininas em inflorescências separadas, mas no mesmo pé. As masculinas (com estames) reúnem-se num cacho que fica na ponta do talo. As flores femininas nascem em inflorescências do tipo espiga, crescem lateralmente nas axilas das folhas.

Milho - (Zea mays) - Inflorescência masculina (pendão) 

Milho - (Zea mays) - Inflorescência feminina já seca. Cada estigma
teve a função de levar o pólen até o óvulo,
formando o fruto, cada um deles é ligado a um
grão de milho

FRUTOS: Cada grão fixo no sabugo é um fruto, seu formato, cor e composição variam conforme o tipo de milho.

Milho - (Zea mays) - Os grãos fixos ao sabugo, cada um com seu estigma

TRONCO: O talo ou colmo é sólido e reto.

Milho - (Zea mays) - Colmo reto e sólido
RAIZ: São no formato de uma cabeleira.
Milho - (Zea mays) - Suas raízes são em forma de cabeleira
LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA: Para que a planta tenha um bom desenvolvimento, é necessário ter o solo úmido na época do crescimento, por outro lado, depois de suas espigas atingirem o desenvolvimento pleno, o ideal são dias sem chuva.

CLIMA: Tropical e subtropical.

PODA: Não necessária.

CULTIVO: Bastante rústico, é cultivada praticamente no mundo inteiro, devido sua capacidade de crescer em climas e altitudes diversas.

FERTILIZAÇÃO: Para cultivos caseiros, uma terra rica em matéria orgânica, acrescentando um pouco de esterco de gado bem curtido é o suficiente, mas para grandes plantações é necessário executar análise do solo, histórico de calagem e adubação, a partir disso aplicar os nutrientes necessários.

UTILIZAÇÃO: Principalmente na alimentação, mas também é usado como biocombustível, na indústria bioquímica, etc.

PROPAGAÇÃO: Por sementes.

PLANTA MEDICINAL: As sedas alongadas, que se parecem com cabelos, encontradas nas espigas, têm propriedades medicinais.

PREÇO: Um saco com 60 kg de milho seco é comercializado no Brasil de R$ 15,00 a R$ 30,00 conforme região produzida. O milho-doce vendido ainda verde em supermercados, tem preço bastante variado. 

Milho - (Zea mays)

FOTOS DESTA POSTAGEM: Fotografei na área rural de Mogi Mirim / SP

28 de jan. de 2012

O PERFUME DAS FLORES


PERFUME DAS FLORES - O perfume atraem insetos polinizadores

Para as plantas o perfume não é um luxo, mas sim a necessidade de atrair insetos que possam polinizar suas flores.

O conhecimento do uso de perfume data a mais de 4000 anos antes de Cristo através de uma inscrição egípcia em hieróglifo onde está escrita uma fórmula para sua fabricação.

A palavra perfume significa em latim per fumum = pelo fumo.

PERFUME DAS FLORES -  Beleza e perfume
Para exalar o perfume a planta passa por um complicado processo de metabolismo vegetal.

A flor ao abrir-se, algumas de suas células se alteram, dando origem a substâncias voláteis, que ao se evaporarem exalam o aroma.

PERFUME DAS FLORES - Complicado processo de metabolismo vegetal

É possível encontrar a venda perfume de determinadas flores, tais como: acácia, azaléia, cravo, ciclame, dália, margarida, gardênia, madressilva, hibisco, impatiens, jasmin, jacinto, hortência, lavanda, magnólia, murta, petúnia, papoula, prímula, rosa, verbena,violeta, zínia entre tantas outras.

Estes perfumes podem ser adquiridos no volume que a pessoa desejar, para se ter uma idéia do valor pedido, 2 onças, cerca de 60 ml  (1 onça = 28,350 gramas) custa em torno de R$ 15,00 a R$ 20,00.

PERFUME DAS FLORES - Flor da tamareira com perfume maravilhoso
Como cada planta tem sua característica, os insetos polinizadores também são diferentes, esse é o motivo que algumas delas, só abrem durante a noite e geralmente tem cor branca, com o objetivo de atraírem mariposas e até morcegos.

PERFUME DAS FLORES - Dracaena fragrans - As flores só abrem ao entardecer

Mas não existe só plantas de aroma agradável ao nosso olfato, algumas exalam cheiro ruim, mas o propósito é o mesmo das demais, pois existe insetos que são atraídos por esse aroma.

Comentário do amigo Carlos Roberto**** O PERFUME QUE EMANA DAS FLORES só se torna assim com a cumplicidade das ABELHAS na polinização!!! E no temor que temos desse inseto pelo FERRÃO que carrega, em contrapartida, a natureza lhe reserva a tarefa de da continuidade da flora, na sua mais bela forma!!! Sendo assim, somos agraciados com essa JOIA PERFUMADA em FLOR!!!


27 de jan. de 2012

FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima )



FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima )
NOME CIENTÍFICO: Caesalpinia pulcherrima.

Nota: Existe a Caesalpinia pulcherrima ‘Flava’ que tem flores de coloração amarela.

NOME POPULAR: Flamboyanzinho, flamboyant-de-jardim, flor-de-pavão, flor-do-paraíso, orgulho-de-barbados, barba-de-barata, poinciana-anã, peacock-flower

Nota: Muitas pessoas acham que o Flamboyanzinho é um Flamboyant jovem, mas na realidade, tem só semelhança, pois o Flamboyant é uma árvore, atinge 12 metros de altura e o Flamboyanzinho é um arbusto, que pode ser conduzido como arvoreta e tem dimensões reduzidas.

FAMÍLIA: Leguminosae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Índia Ocidental e Antilhas

Nota: Caesalpinia pulcherrima ‘Flava’ é natural da África Oriental.

PORTE: De 4 a 5 metros de altura.

FOLHAS: Folhas compostas bipinadas, podem ter de 20 a 40 cm de comprimento, tendo uma média de 7 pares de pinas e em cada uma, cerca de mais de 10 pares de folíolos. De coloração verde escuro na página (face) superior e um pouco mais clara e opaca na página inferior, em regiões um pouco mais frias as folhas caem no inverno.

FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Detalhe de uma folha composta - Página (face) superior

FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Detalhe de uma folha composta - Página (face) inferior

FLORES: São maravilhosas e despontam quase o ano inteiro, mas com maior intensidade na primavera e verão, atraem borboleta e beija-flores. De coloração vermelha, laranja e amarela (na variedade ‘Flava’).

FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Detalhe da flor
FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Detalhe da flor

FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Detalhe da flor
FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Detalhe da flor
FRUTOS: Tipo de uma vagem, de coloração verde quando jovem e marrom quando madura, contém sementes arredondadas e achatadas.

FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Detalhe das sementes

FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Produção de muitas vagens co sementes


FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Detalhe das vagens ainda verdes

TRONCO: Tem caule lenhoso, bastante ramificado e cheio de espinhos.

 Clique para ampliar
FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Detalhe do tronco
FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Detalhe dos ramos com espinhos

LUMINOSIDADE: Sol pleno

ÁGUA: Enquanto jovem manter o solo úmido, não encharcado, regando de 2 a 3 vezes por semana, depois de adulta somente no caso de estiagens prolongadas ou uma vez por semana.

CLIMA: Tropical e Subtropical. Não tolera geadas.

PODA: Para ser conduzida em forma de arvoreta, é necessário ir podando as brotações laterais, deixando o principal. Se desejar manter como arbusto ou cerca viva, não é necessário podar, apenas retirar galhos secos e mal formados.

CULTIVO: Bastante rústica, de fácil cultivo, gosta de solo com boa drenagem.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio, para uma cova de 40x40, misture bem na terra retirada cerca de 20 a 30 litros de esterco de gado bem curtido ou composto orgânico. Pode também ser aplicada cerca de 10 colheres de sopa de NPK, fórmula 04-14-08. Depois de 1 ano aplique 3 vezes por ano, começando com 3 colheres de sopa e indo aumentando a medida que a planta cresce. Coloque na projeção da copa, nunca junto ao caule, regue em seguida.

UTILIZAÇÃO: Devido a beleza de sua florada, porte pequeno e raízes não agressivas é bastante utilizada na arborização urbana. Também pode ser usada como cerca viva, neste caso plantar a cada 1 metro de distância entre plantas e não podar.

FLAMBOYANZINHO - ( Caesalpinia pulcherrima ) - Arbusto que pode ser conduzido por arvoreta


PROPAGAÇÃO: Por sementes, que germinam com facilidade.

PLANTA MEDICINAL: Tem propriedades medicinais

PLANTA TÓXICA: Possui seiva tóxica.

PREÇO: É encontrada a venda entre R$ 5,00 a R$ 10,00. Algumas prefeituras, que tem viveiros, fazem doações. 

26 de jan. de 2012

RESEDÁ - ( Lagerstroemia indica )


RESEDÁ, EXTREMOSA - ( Lagerstroemia indica )
NOME CIENTÍFICO: Lagerstroemia indica.

NOME POPULAR: Resedá, extremosa, árvore-de-júpter, flor-de-merenda, julieta, suspiros, escumilha, mumiquilho.

SINONÍMIA: Lagerstroemia chinensis.

FAMÍLIA: Lythraceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: China e Índia.

PORTE: Até 6 metros de altura.

FOLHAS: É uma árvore de folhas caducas (perde todas folhas durante o inverno), mas isso só acontece em regiões onde o frio é mais intenso, nos demais lugares, as folhas adquirem uma tonalidade avermelhada e só algumas caem. São pequenas e tem bordas um pouco onduladas.

RESEDÁ, EXTREMOSA - ( Lagerstroemia indica ) - Detalhe da folha - Página (face) superior

RESEDÁ, EXTREMOSA - ( Lagerstroemia indica ) - Detalhe da folha - Página (face) inferior

FLORES: Inflorescências espigadas, encontrada em três diferentes tonalidades: rosa, branca ou carmim. Floresce no verão, suas flores se formam na ponta dos ramos que foram podados no inverno. 
RESEDÁ, EXTREMOSA - ( Lagerstroemia indica ) - Detalhe da flor
RESEDÁ, EXTREMOSA - ( Lagerstroemia indica ) - Detalhe de flores brancas
RESEDÁ, EXTREMOSA - ( Lagerstroemia indica ) - Detalhe de flores ainda em botões
FRUTOS: São produzidas cápsulas que contém as sementes.

TRONCO: De casca lisa, tonalidade marrom ou cinza claro e aparência de mármore, durante o crescimento descasca.

RESEDÁ, EXTREMOSA - ( Lagerstroemia indica ) - Tronco de casca lisa, soltando casca
Nota: Mesmo sem flores é possível saber se a arvoreta produz flores de coloração branca ou rosa/carmim pela cor dos ramos.

RESEDÁ, EXTREMOSA - ( Lagerstroemia indica ) - Fácil diferenciar a de florada branca da rosa / carmim
LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA: Mantenha o solo sempre úmido, mas não encharcado, principalmente enquanto a planta for jovem, regando dia sim dia não, no caso de ausência de chuvas.Depois de adulta, regar no caso de estiagens prolongadas.

CLIMA: Aprecia clima subtropical.

PODA: Para que adquira o porte de uma arvoreta, é necessário fazer podas, cortando todas brotações laterais a medida que a planta for crescendo. Para obter floradas intensas, fazer podas anuais no inverno.

CULTIVO: Aprecia solo rico em matéria orgânica.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio, para uma cova de 50x50, misture bem na terra retirada cerca de 20 a 30 litros de esterco de gado bem curtido, ou cerca 10 colheres de sopa de NPK, fórmula 04-14-08.

UTILIZAÇÃO: Considerada a “Musa das calçadas”, devido seu porte, não ter raízes agressivas e beleza, é amplamente utilizada na arborização urbana. Pode ser também cultivada em grandes vasos e usada como cercas vivas.


RESEDÁ, EXTREMOSA - ( Lagerstroemia indica ) - Muito utilizada na arborização urbana
PROPAGAÇÃO: Por estaquia de galhos e sementes.

PRAGAS: É principalmente atacado pelo fungo oídio, que causa manchas cinzas no verso das folhas, deve ser tratada com produto a base de enxofre.

PREÇO: Conforme tamanho da muda é encontrado a um custo de R$ 5,00 a R$ 10,00.Por se tratar de uma arvoreta muito utilizada na região sudeste do Brasil, algumas prefeituras fornecem gratuitamente mudas.

RESEDÁ, EXTREMOSA - ( Lagerstroemia indica )


MAIS FOTOS - Clique abaixo:

RESEDÁ (Laerstroemia indica)


25 de jan. de 2012

ROSA-DO-DESERTO - ( Adenium obesum )


ROSA-DO-DESERTO - Adenium obesum
NOME CIENTÍFICO: Adenium obesum.

Nota: Existem outras espécies como: Adenium arabicum, Adenium socotranum, Adenium somalense, Adenium multiflorum, Adenium swazicum, Adenium crispum,Adenium boehmiabum.

NOME POPULAR: Rosa-do-deserto, adenium,lírio-impala, sabi-star, kudu, mock-azalea, impala-lily, desert-rose.

SINONÍMIA: Adenium coetaneum.

FAMÍLIA: Apocynaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: África Ocidental e Sul da Arábia.

PORTE: Em condições favoráveis, pode atingir mais de 2 metros de altura.

FOLHAS: De coloração verde, simples, com nervura central bem definida, se apresentam de forma agrupadas nas pontas dos ramos.

ROSA-DO-DESERTO - Adenium obesum - Detalhe folha: Página (face) superior

ROSA-DO-DESERTO - Adenium obesum - Detalhe folha: Página (face) inferior
 
Folhas agrupadas na ponta dos ramos
FLORES: De formato tubular, com 5 pétalas, podem ocorrer da primavera até o outono. De coloração bastante variada que vão desde o branco, rosadas até o vermelho escuro, apresentando mistura dessas cores, as vezes só nas bordas ou em toda flor.

ROSA-DO-DESERTO - Adenium obesum - Detalhe das flores

ROSA-DO-DESERTO - Adenium obesum - Macro de uma flor

TRONCO: Seu caule gordo  e tortuoso, bastante exótico, é um destaque todo especial, tem adaptação para armazenar água e nutrientes necessários para desenvolvimento da planta, em épocas de estiagens.


ROSA-DO-DESERTO - Adenium obesum - Detalhe do caule

ROSA-DO-DESERTO - Adenium obesum - Detalhe do caule / raízes


ROSA-DO-DESERTO - Adenium obesum - Detalhe do caule / raízes


LUMINOSIDADE: Sol pleno ou meia-sombra.

Nota: Cultivada a meia-sombra a florada será menor ou pode não acontecer.

ÁGUA: Pouca, mas não pode faltar. Regar 1 por semana, de preferência logo pela manhã, de forma que a planta possa absorver a quantidade que necessita e durante o dia evaporar o excesso. Nos meses mais quentes pode ser regada 2 vezes por semana.

Nota: O problema maior com regas é em relação ao substrato, se a planta for cultivada em local que tenha ótima drenagem a preocupação passa a ser menor. Água acumulada apodrece suas raízes, mas a falta dela não desenvolve a planta.

CLIMA: Quente e úmido. Não tolera temperaturas muito baixas,

PODA: Podem ser realizadas podas de formação, mas para  não deixar cicatrizes o que deixaria a planta com deformidades, deve ser feita com cuidados e conhecimento.

CULTIVO: Cultivar em solo que tenha ótima de drenagem, principalmente se for no jardim, troque o substrato e plante num local mais elevado, caso contrário o excesso de água de chuva irá matar a planta. Sugestão de mistura: 2 partes de areia grossa de construção, 1 parte de terra comum de jardim e 1 parte de terra vegetal.

FERTILIZAÇÃO: Faça aplicação mensal de NPK, formula 04-14-08 (rica em fósforo), com bastante cuidado para não queimar as raízes, o que provoca a queda das folhas. Para vasos pequenos use 1 colher de sopa na borda do vaso, regue em seguida.

UTILIZAÇÃO: Planta com caule de aspecto escultural e floradas magníficas, ficam maravilhosas em  jardins e vasos

PROPAGAÇÃO: Por estaquia e sementes.

PLANTA TÓXICA: Sua seiva é tóxica, cuidados especiais devem ser tomados com crianças pequenas e animais domésticos.

PREÇO: Bastante variado, conforme tamanho e aspecto da planta.

24 de jan. de 2012

ISMENE - ( Hymenocallis harrisiana )


ISMENE - ( Hymenocallis harrisiana )

NOME CIENTÍFICO: Hymenocallis harrisiana.

NOME POPULAR: Ismene.

ISMENE - ( Hymenocallis harrisiana )
FAMÍLIA: Amaryllidaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

Nota: Tem um ciclo de vida de 6 meses. Depois entra em dormência e volta a rebrotar após 6 meses, iniciando um novo ciclo de crescimento.

ORIGEM: México.

PORTE: Com a flor, chega atingir de 40 a 50 cm de altura.

FOLHAS: Ornamentais, laminares, espessas, com 70cm de comprimento.

ISMENE - ( Hymenocallis harrisiana ) - Detalhe das folhas com haste floral no centro

FLORES: Brancas e bastante perfumadas, mas existem híbridos de diferentes cores.

ISMENE - ( Hymenocallis harrisiana ) - Flor ainda fechada

ISMENE - ( Hymenocallis harrisiana )

TRONCO: Acaule.
ISMENE - ( Hymenocallis harrisiana ) - Deatalhe da disposição das folhas
LUMINOSIDADE: Sol pleno ou meia sombra.

ÁGUA: Mantenha o solo levemente úmido, não encharcado. Regar 1 a 2 vezes por semana. 

Nota: Para voltar a florescer e iniciar um novo ciclo, o bulbo deve entrar em dormência e as regas deverão ser suspensas.

CLIMA: Quente e ameno.

PODA: Não necessária, mas as folhas secas podem ser retiradas. A haste floral não deve ser cortada, deixar que ela seque por completo.

CULTIVO: Aprecia solo rico em matéria orgânica, capaz de reter umidade, o bulbo deve ser plantado de 5 a 7cm de profundidade e o espaçamento entre planta é de 20x20 cm. Sugestão de mistura de substrato: 1 parte de terra comum de jardim, 1 parte de composto orgânico, 1 parte de terra vegetal e 1 parte de areia grossa de construção.

FERTILIZAÇÃO: Se for plantada em canteiro, use cerca de 5 colheres de sopa por metro quadrado de NPK, fórmula 10-10-10.

UTILIZAÇÃO: Jardins, canteiros e vasos.

PROPAGAÇÃO: Divisão de bulbos, que se formam ao redor do bulbo-mãe e por sementes.

PREÇO: Um cartela contendo dois bulbos pode ser encontrado de R$ 5,00 a R$ 10,00. 

ISMENE - ( Hymenocallis harrisiana )
ISMENE - ( Hymenocallis harrisiana )