Atenção leitores

Não trabalho com venda de plantas e não envio sementes.
COMENTÁRIOS - Peço desculpa. Infelizmente não estou conseguindo responder os comentários no tempo devido, na medida do possível vou fazendo
Os comentários passam por moderação e não são publicados de imediato, não serão aceitos comerciais.

FEEDBACK - Agradeço o recebimento de quem tem informações adicionais sobre as plantas postadas neste blog, especialmente se não concordarem com o que tenho escrito ou se têm dicas culturais adicionais, pois isso certamente ajudaria a todos.

30 de mar. de 2012

CROSSANDRA-LARANJA - ( Crossandra infundibuliformis )


Arbusto semi-herbáceo.

CROSSANDRA-LARANJA - ( Crossandra infundibuliformis )
NOME CIENTÍFICO: Crossandra infundibuliformis.

NOME POPULAR: Crossandra-laranja, crossandra-salmão.

SINONÍMIA: Crossandra undulaefolia.

FAMÍLIA: Acanthaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

Nota: Apesar de ser uma planta perene, com o passar dos anos ela perde o vigor inicial e convém ser renovadas, depois de 3 a 4 anos do plantio inicial.

ORIGEM: Índia, Malásia e Sri Lanka.

PORTE: De 30 a 90 cm de altura.

FOLHAS: De coloração verde escura e brilhante na página (lado) superior e verde clara na página inferior, são lanceoladas, opostas, glabras e tem nervuras bem definidas.

CROSSANDRA-LARANJA - ( Crossandra infundibuliformis ) - Detalhe da folha, página superior
CROSSANDRA-LARANJA - ( Crossandra infundibuliformis ) - Detalhe da folha, página inferior

FLORES: As inflorescências são tipo espigas, sendo que as flores vão desabrochando aos poucos.

CROSSANDRA-LARANJA - ( Crossandra infundibuliformis ) - Detalhe da espiga e flor
LUMINOSIDADE: Sol pleno ou meia-sombra.

Nota: Apesar de poder ser cultivada a sol pleno, na meia-sombra a planta adquire uma aparência mais bonita.

ÁGUA: Manter o solo úmido, mas não encharcado, regar 2 vezes por semana.

CLIMA: Prefere clima quente, não resiste ao frio intenso.

PODA: Para renovação da folhagem, estimulando novas brotações, as podas devem ser realizadas após florescimento.

Nota: No caso de mudas o “beliscamento” estimula a brotações laterais, deixando a planta mais ramificada.
 
CULTIVO: Prefere solo rico em matéria orgânica. Sugestão de mistura para vasos: 2 partes de composto orgânico, 1 parte de terra vegetal, 1 aparte de terra comum de jardim.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio, aplicar 5 colheres de sopa por metro quadrado, de NPK, fórmula 04-14-08, 60 dias depois faça uma aplicação ao redor de cada planta, nunca junto ao caule, ½  a 1 colher de sopa é o suficiente.

UTILIZAÇÃO: Tem diversas aplicações no paisagismo, sendo utilizada em bordaduras, maciços, vasos, jardineiras, etc.

PROPAGAÇÃO: Por sementes e por estaquia feitas após florescimento.

PREÇO: Em Holambra / SP um vaso tamanho P15 estava sendo comercializadao por R$ 5,70.
CROSSANDRA-LARANJA - ( Crossandra infundibuliformis ) - Planta comercializada
FOTOS DESTA POSTAGEM: Fotografei em Holambra / SP.

28 de mar. de 2012

DRACENA-FRAGRANS - ( Dracaena fragrans ‘Massangeana’ )



Pau d'água
DRACENA-FRAGRANS - ( Dracaena fragrans ‘Massangeana’ )
NOME CIENTÍFICO: Dracaena fragrans ‘Massangeana’

NOME POPULAR: Dracena-fragrans, coqueiro-de-vênus, pau-d’água, dracena-de-vênus

FAMÍLIA: Asparagaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: África.

PORTE: Mais de 6 metros de altura.

FOLHAS: Nascem diretamente no caule, são longas, estreitas e de coloração verde escura na sua variedade mais comum. A “Massangeana” possui uma folha mais ornamental, pois tem estria de coloração amarela no centro da folha.

Folha Dracaena fragrans ‘Massangeana’
DRACENA-FRAGRANS - ( Dracaena fragrans ‘Massangeana’ ) - Detalhe da folha
FLORES: A inflorescência é comprida e pendente, compostas de “pompons” com flores de coloração brancas-roseadas. Durante o dia ficam fechadas, abrem ao entardecer, exalando um perfume intenso.

Nota: O nome científico “fragrans” significa perfume.

FRUTOS: Baga de coloração vermelho-alaranjado, com 1 a 2 cm de diâmetro.

TRONCO: Lenhoso e ereto.


Caule  Dracaena fragrans ‘Massangeana’
DRACENA-FRAGRANS - ( Dracaena fragrans ‘Massangeana’ ) - Detalhe do caule
LUMINOSIDADE: Sol pleno e meia-sombra.

ÁGUA: Gosta de solo úmido, regar duas vezes por semana.

CLIMA: Clima tropical ou subtropical de baixa altitude.

PODA: Não necessária, se não for podada, normalmente irá ter um caule único ereto, no caso de podas haverá ramificação.

CULTIVO: Prefere solo areno-argiloso, rico em matéria orgânica, mantido úmido, mas é uma planta rústica que sobrevive a descuido de quem cuida.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio,para uma cova de 40 X 40 cm, misture bem na terra retirada, cerca de 30 litros de fertilizante orgânico composto, ou 10 colheres de sopa de NPK, fórmula 04-14-08.

UTILIZAÇÃO: Bastante utilizado como cerca-viva, mas pode ser cultivado em vasos em ambientes que tenham boa iluminação.

PROPAGAÇÃO: Por estaquia, de forma bem fácil, é só cortar pedaços do caule, com 20 a 30 cm, e colocar num local com bastante luz, mas que não receba luz solar direta, até que apareçam brotos e raízes. 
Pode ser usado areia grossa de construção, mantendo sempre úmida ou até mesmo numa garrafa pet ou copo com água (por isso é conhecido como pau-d’água).

Flores  Dracaena fragrans ‘Massangeana’
DRACENA-FRAGRANS - ( Dracaena fragrans ‘Massangeana’ )

FOTOS DESTA POSTAGEM: Fotografei na chácara onde moro em Mogi Mirim / SP e a última no Orquidário Municipal em Santos / SP.

NOVAS FOTOS - GRAN FLORA - VEILING HOLAMBRA / SP:

Dracena Pau d'água
DRACENA-FRAGRANS - ( Dracaena fragrans )
Onde comprar DRACENA-FRAGRANS
DRACENA-FRAGRANS - ( Dracaena fragrans )

DRACENA-FRAGRANS

Dracaena fragrans ‘Massangeana’ 

27 de mar. de 2012

GOIABA-DE-POLPA-AMARELA - ( Psidium guajava )


Clique para ampliar 
Goiaba-de-polpa-amarela
NOME CIENTÍFICO: Psidium guajava.

NOME POPULAR: Goiaba-de-polpa-amarela, goiaba-amarela.  

FAMÍLIA: Myrtaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: América Tropical.

PORTE: De 3 a 6 metros de altura.

FOLHAS: Simples, com nervuras bem definidas, com 8 a 12 cm de comprimento e 2 a 6 cm de largura.
 Clique para ampliar 
Detalhe da folha: página (face) superior
 Clique para ampliar 
Detalhe da folha: página (face) inferior

FLORES: Ocorrem na primavera, são de coloração branca, levemente perfumadas, despontam apenas nos ramos novos.

FRUTOS: Começam a amadurecer no verão se estendendo até o outono, a casca é fina e a polpa é bastante saborosa, doce e perfumada, contém muitas sementes. 
Clique para ampliar 
Detalhe do fruto
 Clique para ampliar 
Detalhe do fruto cortado
TRONCO: Tortuoso, de coloração marrom-esverdeado, com aspecto marmorizado, com 20 a 30 cm de diâmetro, de fácil identificação, de tempo em tempo soltam cascas finas, deixando o tronco bem liso.
 Clique para ampliar 
Detalhe do tronco
Nota: É uma das frutíferas preferidas pela criançada, pois seu tronco liso e tortuoso é fácil de escalar para apanhar as frutas e brincar.

LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA: Por ocasião do plantio, até que tenha um bom enraizamento, o solo deve permanecer sempre úmido, mas não encharcado, regue de forma moderada diariamente. Após adulta, somente no caso de estiagens prolongadas.

CLIMA: Prefere clima quente e úmido. Não tolera frio intenso.

PODA: Apesar de não ser necessária, apenas realizando poda de condução, retirando brotações laterais, ramos secos e mal formados, ela pode ser realizada  de forma a facilitar o trato e retirada de frutos, deixando ela com altura mais baixa.
 
CULTIVO: Bastante rústica, apesar de prosperar em diversos tipos de solos, ela prefere solo areno-argiloso, rico em matéria orgânica e que tenha boa drenagem, começa a produzir após o terceiro ano do plantio.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio, para uma cova de 40 x 40 cm, misture bem na terra retirada cerca de 20 a 30 litros de esterco de gado bem curtido, ou a metade se for de aves. Na dificuldade de encontrar, use fertilizante orgânico composto. Pode ser misturado também NPK, 10 colheres de sopa da fórmula 04-14-08.

PRAGAS: A mosca-das-frutas é responsável pelo conhecido “bicho-da-goiaba”, as goiabas ainda verdes precisam ser ensacadas, mas com isso ela perde um pouco do sabor.

Nota: Para diminuir a quantidade e proliferação, os frutos que caem e podres, devem ser removidos do local. 

UTILIZAÇÃO: Uma árvore frutíferacom trono bastante ornamental, não deve faltar no pomar doméstico.

PROPAGAÇÃO: Por enxertia, estaquia e sementes.

PREÇO: As mudas são comercializadas em torno de R$ 10,00.

25 de mar. de 2012

LOUVA-A-DEUS - ( Mantis religiosa )



LOUVA-A-DEUS - ( Mantis religiosa )
NOME CIENTÍFICO: Mantis religiosa.

Nota: Há cerca de 2.000 espécies de louva-a-deus.

NOME POPULAR: Louva-a-deus, cavalino-de-deus, Praying mantids.

Nota: O nome popular é devido a sua postura, que quando está pousado, lembra uma pessoa rezando.

FILO: Arthropoda.

CLASSE: Insecta.

ORDEM: Mantodea.

FAMÍLIA: Mantidae.

ORIGEM: A maioria das espécies vivem em regiões de climas tropicais e subtropicais.

ALIMENTAÇÃO: É carnívoro, se alimenta de pequenos insetos, como moscas, mosquitos e demais insetos que atacam as plantas.

TAMANHO: Normalmente medem de 5 a 7,5 cm.


LOUVA-A-DEUS - ( Mantis religiosa )
COR: Verde ou castanho.

ACASALAMENTO: No ritual de acasalamento, normalmente a fêmea corta a cabeça do macho, ela põe uma quantidade muito grande de ovos que ficam protegidos por uma cápsula, até nascerem.

PREDADORES: Pássaros, vespas e morcegos são normalmente suas grandes ameaças, mas por permanecerem imóveis e terem a cor do local onde estão, ficam camuflados dificultando a ação. Quando os filhotes nascem, são atacados por formigas.

LOUVA-A-DEUS - ( Mantis religiosa )


24 de mar. de 2012

PALMEIRA-FENIX - ( Phoenix roebelinii )


Tamareira-anã, tamareira-de-jardim, fênix, palmeira-fênix,
PALMEIRA-FENIX - ( Phoenix roebelinii )

NOME CIENTÍFICO: Phoenix roebelinii.


NOME POPULAR: Tamareira-anã, tamareira-de-jardim, fênix, palmeira-fênix,


FAMÍLIA: Arecaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Ásia.

PORTE: Até 4 metros de altura.

FOLHAS: São compostas, pinadas de coloração verde escura brilhante.

FLORES: De coloração amarelada, é uma planta dióica (produz flores femininas e masculinas, em plantas separadas).

FRUTOS: São produzidos no verão ou início do outono, pela planta feminina, são de tamanho pequeno, globoso e de coloração vinho-escuro.

TRONCO: Ereto, fino e elegante, com 15 a 20 cm de diâmetro, com o tempo parte das folhas cortadas presas a ele, vai apodrecendo e soltando, deixando o tronco a vista.

Tamareira-anã, tamareira-de-jardim, fênix, palmeira-fênix,
PALMEIRA-FENIX - ( Phoenix roebelinii ) - Detalhe das folhas cortadas ainda presas ao tronco
LUMINOSIDADE: Sol pleno ou meia-sombra.

ÁGUA: Manter o solo úmido, mas não encharcado, regar 2 vezes por semana, com uma quantidade maior nos períodos mais quentes e menor nos mais frios.

CLIMA: Aprecia clima quente, mas também pode ser cultivada em clima um pouco mais frio.

PODA: Não necessária, apenas para melhorar a estética, as folhas secas devem ser cortadas.

CULTIVO: Planta bastante rústica, mas de crescimento lento. Sugestão par mistura em vaso: ! parte de terra comum de jardim, 1 parte de terra vegetal, 1 parte de composto orgânico e 1 parte de areia grossa de construção.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio para uma cova de 40 x 40 cm aplicar 20 a 30 litros de composto orgânico. Se o solo for muito argiloso, coloque um pouco de areia grossa de construção, use também NPK, 10 colheres de sopa, da fórmula 04-14-08.

UTILIZAÇÃO: Bastante utilizada no paisagismo, em jardins, de forma isolada ou em pequenos grupos. Pode ser cultivada em vasos, mantidos em locais com bastante iluminação.

Nota: Suas folhas, próximo ao caule têm grandes espinhos, portanto deve se ter o cuidado de plantar em local onde não tenha o transito muito próximo de pessoas  e crianças pequenas.

Espinhos da Palmeira-fenix
PALMEIRA-FENIX - ( Phoenix roebelinii ) - Detalhe dos espinhos

PROPAGAÇÃO: Por sementes, produzidos pela planta feminina.

PREÇO: Por ser uma planta de crescimento lento, o valor pedido, varia bastante com o tamanho da planta.

23 de mar. de 2012

BEGÔNIA-SEMPRE-FLORIDA - ( Begonia semperflorens )


Clique para ampliar
Begonia semperflorens
NOME CIENTÍFICO: Begonia semperflorens.

NOME POPULAR: Begônia-azedinha, begônia-sempre-florida, begônia-cerosa, begônia-de-jardim, azedinha-do-brejo.

SINONÍMIA: Begonia cucullata.

FAMÍLIA: Begoniaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

Nota: A pesar de serem perenes, os canteiros precisam ser renovados anualmente pois com o passar do tempo elas perdem a beleza apresentada inicialmente.

ORIGEM: Brasil.

PORTE: Até 20 cm de altura.

FOLHAS: De coloração verde ou vinho, em forma de coração, com bordas serrilhadas.
Clique para ampliar
Detalhe da folha
Clique para ampliar
Folha e flor
FLORES: Bem delicadas, produzem flores praticamente o ano inteiro, mas com maior intensidade no verão, com variedades de coloração branca, rosa e vermelhas.

TRONCO: Caule suculento.

LUMINOSIDADE: Sol pleno ou meia-sombra.

Nota: Para florir precisa de pelo menos 4 horas de luz solar por dia.

ÁGUA: Gosta de solo úmido, mas não encharcado. Regar de 2 a 3 vezes por semana de forma moderada, dosando a quantidade de acordo com o clima, mais nos dias quentes e menos nos dias frios.

CLIMA: Prefere clima ameno, mas pode ser cultivadas em climas mais quentes ou mais frios, com cuidados em relação a exposição solar e ambiente.

PODA: Não necessária, remover flores e folhas murchas.

CULTIVO: Aprecia solo rico em matéria orgânica, com boa drenagem, quando plantada em jardins se o solo for argiloso, é interessante acrescentar um pouco de areia grossa de construção, para evitar que chuvas fortes e prolongadas, acumulem muita água e apodreçam seu caule.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio, aplique cerca de 5 colheres de sopa de NPK, fórmula 04-14-08, por metro quadrado. Se o solo for pobre em matéria orgânica coloque fertilizante orgânico composto.

UTILIZAÇÃO: Pode ser utilizada de diversas formas, em bordaduras, forrações, vasos e jardineiras.

PROPAGAÇÃO: Por estacas de ramos, divisão de touceiras e por sementes.

PREÇO: Em Holambra / SP,o saquinho de muda estava sendo comercializado entre R$ 0,60 a R$ 1,00.
Clique para ampliar
Begonia semperflorens
ONDE COMPRAR SEMENTES
Clique no link abaixo:

21 de mar. de 2012

CACHEPÔ

Olá amigos!

Tenho recebido alguns emails  solicitando dicas de vasos, cachepôs e outros acessórios para jardim.

Hoje vou colocar alguma coisa sobre cachepô e onde comprar pela internet.


Cachepô fabricado em resina plástica, apresenta padronagem ramificada, com detalhes delicados, acabamento fosco, rústico e pintura especial na cor Natural.

Medidas:
Altura: 10 cm
Largura superior: 11,5 x 11,5 cm
Largura inferior: 8,5 x 8,5 cm



Vaso ou cachepo fabricado em resina plástica, apresenta padronagem imitando madeira rústica em dois lados e com flor estampada em dois lados. Acabamento fosco, rústico e pintura na cor Tabaco.

Medidas:
Altura: 15 cm
Largura superior: 16 x 16 cm
Largura inferior: 11 x 11 cm

Cachepô fabricado em resina plástica, apresenta padronagem imitando rattan, acabamento fosco, rústico e pintura especial na cor tabaco.

Este modelo pode ser usado como vaso ou cachepô. É fácil de furar com uma furadeira comum. Leve e resistente, é ideal para decorar ambientes externos ou internos.

Medidas:
Altura: 13,5 cm
Largura superior: 15 x 15 cm
Largura inferior: 12 x 12 cm

Cachepô - Jardineira fabricado em resina plástica, apresenta padronagem imitando rattan, acabamento fosco, rústico e pintura especial na cor tabaco.

Este modelo pode ser usado como vaso ou cachepô. É fácil de furar com uma furadeira comum. Leve e resistente, é ideal para decorar ambientes externos ou internos.

Medidas:
Altura: 19 cm
Largura superior: 37,5 x 19cm
Largura inferior: 19 x 34 cm


ONDE ENCONTRAR: Para conhecer, outros modelos, preços clique no link:


19 de mar. de 2012

PITEIRA-DO-CARIBE - ( Agave angustifolia )


Clique para ampliar
Agave angustifolia 
NOME CIENTÍFICO: Agave angustifolia.

NOME POPULAR: Piteira-do-caribe.

SINONÍMIA:  Agave breedlovei, Agave costaricana

FAMÍLIA: Agavaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: América Central, México.

PORTE: Mais de 1 metro de altura.

FOLHAS: Em forma de espadas, compridas, rígidas, de colorações verdes, com as margens, amarela ou branco-creme. Estão dispostas no formato de uma roseta.

FLORES: Ocorre apenas 1 vez, quando nasce uma haste de mais de 3 metros de altura, isso ocorre em mais ou menos 10 anos, depois a planta mãe morre. As flores são amareladas ou brancas dispostas no formato de uma escova

TRONCO: De tamanho bem curto.

LUMINOSIDADE: Sol pleno, mas também toleram meia-sombra.

ÁGUA: Suporta solo mais seco, pode ser regada 1 vez por semana, quando o substrato secar.

CLIMA: Aprecia clima quente, não gota de frio intenso.

PODA: Não necessária, mas pode ser retirada os filhotes que nascerem ao redor da planta mãe e  também os espinhos da ponta das folhas, mas só  se estiverem apresentando algum risco a pessoas.

CULTIVO: Aprecia solo arenoso, enriquecido com matéria orgânica,com boa drenagem. Sugestão de mistura: 2 partes de areia grossa de construção, 1 parte de terra comum de jardim e 1 parte de terra vegetal ou de compostoorgânico.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio e depois anualmente aplique NPK, fórmula 10-10-10.

UTILIZAÇÃO: De efeito paisagístico maravilhoso, pode ser colocado em jardins amplos, em conjunto ou também de forma isolada. Plantadas em vasos terá seu crescimento limitado.

Nota: Devido seus espinhos agressivos, não deve ser colocada em área de passagem de pessoas.

PROPAGAÇÃO: Por bulbilhos, formados na haste e mudas que nascem ao redor da planta mãe.

PREÇO: Em Holambra / SP, o pote (vaso) tamanho PT30,  estava sendo comercializada por R$ 17,00

Clique para ampliar 
Planta comercializada

14 de mar. de 2012

CARVALHO-INGLÊS - ( Quercus robur )


Clique para ampliar
Quercus robur
NOME CIENTÍFICO: Quercus robur.

Nota: O nome  derivado do latim significa: quercus = carvalho + robur = robusta, madeira dura.

NOME POPULAR: Carvalho-inglês, carvalho-vermelho, english-oak.

Nota: Não é fácil identificar as diversas espécies, pois existem muitos cultivares e híbridos desta maravilhosa árvore.

SINONÍMIA: Quercus borealis.

FAMÍLIA: Fagaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Hemisfério Norte.

PORTE: Em média  25 a 40 metros de altura.

Nota: O cultivar Quercus robus ‘Fastigiata’, uma das mais cultivadas, tem de 10 a 15 metros de altura.

FOLHAS: Perdem suas folhas no inverno, mas antes de caírem, mudam de cor ficando vermelhas, escarlates ou amarelas, proporcionando um efeito visual maravilhoso. Suas folhas variam no tamanho e formato conforme cultivar.
Clique para ampliar
Detalhe das folhas
Clique para ampliar
Macro da folha
FLORES: Inflorescências em cachos pendentes, as flores são pequenas de coloração verde / marrom-clara.

FRUTOS: São conhecidos como “bolotas”, estão sustentados por pedúnculo de 3 a 7cm, contendo 1 a 4 frutos. Amadurecem no outono seguinte (geralmente mais de 1 ano após a polinização) e medem de 2 a 2,5 cm.

TRONCO: De coloração castanho-cinza, seu trono e ramos são bem grossos e sólidos, sua casca tem fissuras profundas. Sua madeira de grande qualidade é utilizada na fabricação de móveis e também nos  conhecidos tonéis, para armazenar vinho.

LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA: Prefere solo ligeiramente úmido, mas não encharcado, enquanto jovem regar moderadamente 2 vezes por semana, quando a planta atingir sua fase adulta só regar no caso de estiagens muito prolongadas.

CLIMA: Temperado e frio.

PODA: Deve ser feita de formação retirando brotos laterais, secos e mal formados, a época certa é durante o inverno ou no começo da primavera

CULTIVO: Aprecia solos ácidos, argilosos, mas aceita outros tipos de solo, seu crescimento é bem rápido.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio, para uma cova de 40 x 40 cm, misture bem na terra retirada cerca de 10 colheres de sopa de NPK, fórmula 10-10-10.

UTILIZAÇÃO: Praticamente em todos países do mundo com clima temperado a frio é cultivado como árvore ornamental, sendo encontrada em parques e jardins.

Nota: Muitos insetos, mamíferos e aves se alimentam de suas folhas e bolotas, sendo considerada uma das árvores que suporta maior biodiversidade em relação as demais.

PROPAGAÇÃO: Por sementes

Fotos desta postagem: Fotografei no Viveiro de Mudas CIPREST.