Atenção leitores

Não trabalho com venda de plantas e não envio sementes.
COMENTÁRIOS - Peço desculpa. Infelizmente não estou conseguindo responder os comentários no tempo devido, na medida do possível vou fazendo
Os comentários passam por moderação e não são publicados de imediato, não serão aceitos comerciais.

FEEDBACK - Agradeço o recebimento de quem tem informações adicionais sobre as plantas postadas neste blog, especialmente se não concordarem com o que tenho escrito ou se têm dicas culturais adicionais, pois isso certamente ajudaria a todos.

31 de jan. de 2019

ORELHA-DE-LEÃO, LEONOTIS - ( Leonotis leonurus )

Imagem: pza.sanbi


NOME CIENTÍFICO
Leonotis leonurus.


NOME POPULAR: orelha-de-leão, wild dagga, leonotis.


FAMÍLIA: Lamiaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Planta endêmica da África do Sul.

PORTE: De 2 - 3 metros de altura.

FOLHAS: De coloração verde, bordas serrilhadas, medem de 5 - 10 cm de comprimento, a página superior tem textura áspera e a página inferior tem textura aveludada.

Nota: São bastante aromáticas, quando esmagadas.

FLORES: As inflorescências em forma de um globo é composta  de muitas flores tubulares, de coloração laranja brilhante, por ser rica em néctar, recebe a visita de abelhas, borboletas, beija-flores e outros passarinhos.

Nota: Existem híbridos e uma variedade de coloração branca, descrita como Leonotis leonurus var. albiflora Benth.

FRUTOS: Depois de amadurecidas, com ação do vento, as sementes ficarão espalhadas ao redor da planta mãe, como tem uma superfície coberta por óleo, atraem formigas que carregam e fazem o serviço de dispersão.

TRONCO: O caule tem textura lenhosa na base e as hastes são mais frágeis, podendo ser quebradas por ventos fortes.

LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA: Gosta de solo sempre úmido, mas não encharcado durante o verão, no inverno tolera ele mais seco.

CLIMA: Subtropical.

PODA: No final do inverno, as plantas devem ser podadas, para estimular o crescimento.

Nota: Depois de um tempo planta vai perdendo o vigor inicial, as touceiras poderão ser retiradas do solo, divididas, com aproveitamento das mais viçosas e fazendo o replante imediato.

CULTIVO: De fácil cultivo, aprecia solos argilosos, ricos em matéria orgânica, com boa quantidade de adubo e que tenham boa drenagem.

FERTILIZAÇÃO: Na preparação do local de cultivo, misturar na terra, esterco animal sempre muito bem curtido ou composto orgânico.

Nota: Sempre no final do inverno repetir a operação, incorporando ao solo com cuidado para não danificar as raízes, regar de forma generosa para que a água possa atingir as raízes mais profundas.

UTILIZAÇÃO: Fica muito bonita junto a muros, formando cercas vivas e fazendo composição com plantas menores.

Nota: Por florescer durante muitos meses do ano e atrair pássaros é uma das plantas favoritas nos jardins sul-africanos.

PROPAGAÇÃO: Semente, estaquia e divisão da planta.

Nota: As sementes geralmente germinam entre duas a três semanas.

PLANTA MEDICINAL: Têm propriedades medicinais, todas as partes da planta são utilizadas para tratamento de várias doenças.

Nota: A utilização deve ser feita sempre na preparação e dosagem correta, para não ter um resultado inverso do esperado.

PRAGAS E DOENÇAS: A borboleta bush bronze (Cacyreus lingeus), usa esta planta para botar seus ovos e suas larvas se alimentarem dela.

FOTOS DESTA POSTAGEM:

29 de jan. de 2019

ESPADA-DO-HAVAÍ - ( Argyroxiphium sandwicense )

Photo courtesy of Kelly Griffin. Copyright Kelly Griffin. Photo taken on Maui.

NOME CIENTÍFICO:  Argyroxiphium sandwicense 

Nota: Existem duas subespécies:
• O silversword de Haleakala ( Argyroxiphium sandwicense subsp. Macrocephalum ) é encontrado na montanha Haleakalā na ilha de Maui em altitudes acima de 2.100 metros.
 • Mauna Kea silversword ( sandwicense subsp. Sandwicense ) é encontrado na montanha Mauna Kea na Ilha Grande em altitudes acima de 2.600 metros.

NOME POPULAR: espada-do-havaí,


FAMÍLIA: Asteraceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Havaí.

PORTE: Cerca de 0,60 metro, a haste floral chega atingir 3 metros de altura

FOLHAS: Crescem em forma de roseta junto ao solo, medem de 15-40 cm de comprimento e 0,5-1,5 cm de largura, tem a forma de uma espada (por essa razão recebeu o nome popular), são bem rígidas, pontiagudas, estreitas e cobertas de pelos sedosos de coloração prateada que protege a planta da radiação UV.

Nota: As folhas refletem os raios solares e o formato da folha ajuda a prevenir a perda de umidade bem como protege a parte central da planta da predação.

FLORES: A inflorescência bem alta começa a crescer a partir do centro da roseta de folhas e atinge cerca 3 metros de altura, por 75 cm de largura. É formada por uma numerosa quantidade de flores, de 50 a 600

Nota: Cada planta floresce apenas uma vez em sua vida, o que pode levar de 20 a mais de 50 anos, acontece de julho a outubro. Para produzir esta imensa haste floral com sementes para perpetuação da espécie, a planta gasta muita energia, depois que as sementes amadurecem a planta morre

FRUTOS: É um aquênio (fruto seco) de 7-15 mm de comprimento.

LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA: Necessita de solo que tenha um pouco de umidade.

CLIMA: Apesar de estar na região de clima tropical, o local onde a planta é nativa, tem mais de 2.000 metros de altura com temperaturas bem baixas.

CULTIVO: É uma planta que corre sério risco de extinção, pois prospera em superfícies de cascalho, com grande altitude e umidade, além disso, esses locais devem ser protegidos de animais, principalmente cabras.

Nota: Especialistas estão tentando resolver essa situação, mas ainda encontram problemas com polinização, produção de sementes, germinação e sobrevivência das mudas.

PROPAGAÇÃO: Por sementes.

FOTOS DESTA POSTAGEM:

ESTRELA-DO-EGITO, PENTAS - ( Pentas lanceolata )

PENTAS - ( Pentas lanceolata )
ESTRELA-DO-EGITO, PENTAS - ( Pentas lanceolata )

NOME CIENTÍFICOPentas lanceolata.

NOME POPULAR: Pentas, estrela-do-egito.


Nota: Seu nome popular é devido sua flor ter o formato de uma estrela de cinco pontas.

SINONÍMIAPentas carnea, Ophiorrhiza lanceolata.

FAMÍLIA: Rubiaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

Nota: Apesar de perenes após 2 anos, a planta perde o vigor inicial, sendo necessário o replantio.

ORIGEM: África Tropical e Arábia.

PORTE: Chega atingir 1 metro de altura.

Nota: Existe variedade anã com 30 cm de altura.

FOLHAS: Opostas, de coloração verde, lanceoladas, com nervuras bem definidas e cobertas por uma fina camada de pelos.

FOLHAS DA PENTAS, ESTRELA-DO-EGITO - ( Pentas lanceolata )
Folhas da ESTRELA-DO-EGITO, PENTAS - ( Pentas lanceolata )

FLORES: As inflorescências despontam quase todo ano, são formadas de pequenas flores no formato de uma estrela de cinco pontas, de coloração branca, vermelha, rosa-claro, rosa-forte e lilás, atrai beija-flores e borboletas.

Como cuidar de Pentas?
Flores ESTRELA-DO-EGITO, PENTAS - ( Pentas lanceolata )

Nota: Melhoramentos genéticos foram feitos nesta planta, sendo encontradas flores com cores diversas.

TRONCO: Base do caule de textura lenhosa, os ramos a exemplo das folhas também são cobertos por pelos.

Como tratar da ESTRELA-DO-EGITO, PENTAS - ( Pentas lanceolata )
ESTRELA-DO-EGITO, PENTAS - ( Pentas lanceolata )

LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA: Aprecia solo mantido sempre úmido, mas não encharcado, regar dia sim, dia não, com maior quantidade nos dias quentes e menor nos dias frios.

CLIMA: Aprecia clima quente e úmido.

PODA: Com objetivo de melhorar sua estética, pode ser realizada na época que estiver praticamente sem flores.

CULTIVO: Aprecia solo rico em matéria orgânica. Sugestão de mistura: 2 partes de composto orgânico, 1 parte de terra comum de jardim e 1 parte de terra vegetal.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião da preparação do canteiro misturar cerca de 5 colheres de sopa de NPK, fórmula 04-14-08 por metro quadrado.

UTILIZAÇÃO:  Pode ser cultivada em vasos, jardineiras, usados maciços, bordaduras e ao longo de muros.

PROPAGAÇÃO: Por sementes, estaquia e divisão da planta.

PREÇO: Varia conforme tamanho da planta e vaso, em sacos a muda estava por R$ 1,20 (29/01/2019)
Mudas  PENTAS - ( Pentas lanceolata )
Preço ESTRELA-DO-EGITO, PENTAS - ( Pentas lanceolata )
IMAGENS DA POSTAGEM: Fiz em Holambra / SP na Gardencenter Cidade das Flores em Holambra / SP

28 de jan. de 2019

JATROFA-VERMELHA, PEREGRINA - ( Jatropha integerrima )


Arbusto semilenhoso
Imagem: rYson

NOME CIENTÍFICOJatropha integerrima.


NOME POPULAR: peregrina, jatrofa-vermelha.


SINONÍMIAJatropha coccinea, Jatropha pandurifolia, Jatropha hastata

FAMÍLIA: Euphorbiaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: América Central Insular (Antilhas) e países vizinhos.

PORTE: Normalmente de 2-3 metros de altura.

Nota: Encontrando ambiente favorável, pode atingir altura maior.

FOLHAS: Simples, alternadas, com tamanhos e formatos variados.

FLORES: As inflorescências despontam na extremidade dos ramos, são formadas por cachos com muitas flores, unissexuais (dioica),com cinco pétalas, que medem cerca de 2,5 cm de diâmetro, de coloração vermelho intenso e ocorrem durante o ano inteiro, mas principalmente no final da primavera e verão.

FRUTOS: Medem cerca de 1-2 cm de comprimento e as sementes, de coloração amarelada ou marrom, geralmente menos de 1 cm.

TRONCO: Apesar de ser um arbusto com vários troncos finos, pode ser feita podas deixando um tronco único e conduzindo a planta como uma arvoreta.

LUMINOSIDADE: Sol pleno, meia-sombra.

ÁGUA: Gosta de solo sempre úmido, mas nunca encharcado, para que não ocorra o apodrecimento radicular.

CLIMA: Tropical, tolerante ao clima subtropical desde que não ocorra um frio mais intenso, com ocorrência de geadas.

PODA: Para estimular novas brotações e uma florada mais intensa é importante podar no início da primavera, cerca de 1/3 da planta.

Nota: Utilizar instrumento bem afiado e esterilizado e passar fungicida (feito a base de cobre) nos cortes, para evitar entrada de doenças.

CULTIVO: Planta bastante rústica, aprecia solo rico em matéria orgânica, mantido úmido, mas que tenha ótima drenagem.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio, misture bem na terra retirada da cova esterco animal sempre muito bem curtido, depois de 6 meses a manutenção deve ser feita com NPK, fórmula 04-14-08, colocando de 1-5 colheres de sopa sempre ao redor do caule na projeção da copa, incorporar levemente e regar em seguida.

UTILIZAÇÃO: É uma planta bastante ornamental que pode ser cultivada como arbusto ou pequena árvore em jardins, praças, canteiros e vasos grandes.

PROPAGAÇÃO: Por sementes e estaquia.

PLANTA TÓXICA: Todas partes da planta são tóxicas.

Nota: No manuseio usar luvas, pois a seiva leitosa pode causar irritação na pele. Não inalar fumaça da queima da planta.

PRAGAS E DOENÇAS: Insetos como pulgões, mosca-branca e outros costumam atacar a planta, ao notar a presença pulverize inseticida próprio para plantas para não deixar que ocorra uma grande infestação prejudicando a planta.

26 de jan. de 2019

COMO FAZER MUDAS DE KALANCHOE

COMO FAZER MUDAS DE KALANCHOE


mudas kalanchoe
COMO FAZER MUDAS DE KALANCHOE

É bem fácil e rápido
Para ter sucesso deve ser usado um substrato que tenha boa drenagem de forma que não acumule água, por outro lado ele deve ser mantido sempre úmido,
Corte uma folha e envie o pecíolo (cabinho) no substrato;
Mantenha num local com bastante claridade mas sem receber luz solar direta.
Quando enraizar, a folha mãe pode ser cortada.
Replante sem desmanchar o torrão.


PORQUE AS HORTÊNSIAS NÃO SÃO FLORES?

 PORQUE AS HORTÊNSIAS NÃO SÃO FLORES?


hortênsias sem flores
PORQUE AS HORTÊNSIAS NÃO SÃO FLORES?

As Hortênsias  precisam de frio para quebrar a dormência da planta.

Dica: Para ajudar um pouco mais, durante o inverno não deve ser realizada adubação, deixar elas "passarem frio", com isso certamente na primavera ela ficará florida.

Essa é uma das razões que as hortênsias não se dá bem em regiões mais quentes.

Os produtores  para conseguirem a quebra da dormência,  colocam a planta em câmara fria.

24 de jan. de 2019

ROSINHA DO JAPÃO, YEDDO HAWTHORN - ( Raphiolepis umbellata )


Arbusto semilenhoso

Imagem: Tatters

NOME CIENTÍFICO: Raphiolepis umbellata.


NOME POPULAR: rosinha-do-japão, Yeddo Hawthorn.


FAMÍLIA: Rosaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: China. Japão, Coreia, Taiwan.

PORTE: Encontrando condições favoráveis, chega atingir cerca de 2 metros de altura.

FOLHAS: De coloração verde-escura, brilhante, grossa, medindo de 3-5 cm de comprimento.

Nota: As folhas novas tem coloração cinza-esverdeado e são cobertas por uma fina pelugem.

FLORES: A inflorescência é formada por panículas (cachos) terminais (na ponta dos ramos), com muitas flores de coloração branca a rosa pálido, com 1,5 cm de diâmetro, 5 pétalas e estames avermelhados.

FRUTOS: Logo em seguida da florada se formam os frutos, em grande número, medindo até 2 cm de diâmetro, tem coloração azul/arroxeado escuro, contendo 1 semente.

TRONCO: Semilenhoso.

LUMINOSIDADE: Sol pleno.

ÁGUA: Aprecia solo úmido, mas não encharcado, principalmente quando a planta ainda é jovem, não descuidar das regas, depois de estabelecida até tolera um pouco de seca, mas não prolongada.

CLIMA: Temperado, subtropical, oceânico e mediterrâneo.

PODA: Somente de formação e limpeza, retirando brotações laterais, galhos secos e mal formados.

Nota: Não fazer podas drásticas.

CULTIVO: De crescimento lento, gosta de solo que tenha boa drenagem, rico em matéria orgânica.

Nota: Tolera bem a salinidade, sendo indicada para regiões litorâneas.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio da muda, misture na terra retirada da cova, esterco animal sempre muito bem curtido, depois de 6 meses aplique de 3 a 5 colheres de NPK 04-14-08 sempre ao redor do caule na projeção da copa, nunca coloque junto ao caule, incorpore levemente para não danificar as raízes e regue em seguida.

UTILIZAÇÃO: Como planta isolada como foco principal ou em grupos ao longo de cercas e muros e grandes vasos.

PROPAGAÇÃO: Por sementes e estaquia.

PRAGAS E DOENÇAS:

FOTOS DESTA POSTAGEM:

23 de jan. de 2019

COMO FAZER UMA PODA PERFEITA?


Como fazer uma poda perfeita?


Para conseguir um bom resultado, deverá utilizar uma ferramenta de corte bem afiada e esterilizada. 


CERTO

poda de árvores
Poda feita com uma ferramenta afiada

Com um corte reto, a cicatrização ocorre rapidamente ficando nais difícil a entrada de doenças.

PODA DE ÁRVORES
Poda feita com uma ferramenta afiada



Ao utilizar uma ferramente em mau estado e não esterilizada, a cicatrização será mais longa e ficará aberta uma porta de entrada para doenças: fungos e bactérias.



ERRADO

Corte de galhos
Poda feita com uma ferramenta  em estado ruim


COMO CORTAR ARVORES/
Poda feita com uma ferramenta  em estado ruim

Nota: Principalmente em galhos mais grossos e troncos, após o corte, aplicar uma pasta fungicida que é feita a base de cobre.

Imagens: TECHNES AGRÍCOLA LTDA.

22 de jan. de 2019

FLOR-MORCEGO, PLANTA-MORCEGO - ( Tacca chantrieri )

Imagem: Stephanie Lichlyter

Herbácea hermafrodita

NOME CIENTÍFICOTacca chantrieri.


Nota: Existe variedades com coloração de flores diversas.

NOME POPULAR: flor-morcego, planta-morcego, bigodes-de-gato, flor-negra, flor-do-batman, orquídea-morcego.


Nota: Apesar de ser conhecida por orquídea-morcego, não é uma orquídea.

FAMÍLIA: Dioscoreaceae.

Nota: Antes estava na família Taccaceae, no sistema APGII (2003), o gênero Tacca é incorporado na Dioscoreaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: China, Índia, Malásia e muitos outros países da Ásia.

PORTE: Em condições favoráveis pode atingir 1 metro de altura.

FOLHAS: São longas, lanceoladas, arqueadas, com coloração verde-claro-brilhante, medindo cerca de 45 cm de comprimento, nervuras bem definidas, sustentadas por longos pecíolos que surgem de forma aglomerada a partir da base.

FLORES: A inflorescência pode medir até 30 centímetros de diâmetro, composta por duas grandes brácteas (folhas modificadas) laterais, no centro estão as pequenas flores, junto com os filamentos que medem até 30 cm, a coloração é um roxo quase negro, floresce na primavera / verão, não tem aroma.

Nota: O formato da inflorescência se parece com um morcego de asas abertas e os longos filamentos lembra “bigode de gato” daí o porquê de seus nomes populares.

FRUTOS: Após as flores surgem os frutos que são cápsulas papiráceas (parecidas com folhas de papel), onde estão as sementes, que levam cerca de um ano para amadurecer.

TRONCO: Acaule.

LUMINOSIDADE: Em áreas externas deve ser cultivada em locais na sombra, mais com bastante luz ou recendo luz solar filtrada por árvores. Em ambientes internos em local com bastante claridade, mas sem receber luz solar.

ÁGUA: Gosta de substrato mantido úmido, mas jamais encharcado.

Nota: Em ambientes interno, para suprir a falta de umidade do ar as folhas devem ser borrifadas com água que não tenha cloro.

CLIMA: Só aceita clima quente e úmido, que não deve sofrer variações.

Nota: Deve ser protegida da ação de qualquer tipo de vento e mudanças bruscas de temperatura, não colocar em ambiente que tenha ar condicionado.

PODA: Não necessária, apenas a retirada de folhas seca.

Nota: As inflorescências secas terão frutos com sementes.

CULTIVO: Para ter sucesso no cultivo, leia com atenção os tópicos de luminosidade, água, clima. O substrato deve ser bem leve, semelhante ao utilizado para orquídeas.

FERTILIZAÇÃO: A cada 6 meses aplique NPK 04-14-08, de preferência o líquido, utilizando 50% da dosagem indicada  pelo fabricante.

Nota: Uma boa alternativa é aplicação de Bokashi, um composto orgânico concentrado (pode ser inclusive preparado em casa, tem como fazer em alguns sites)

UTILIZAÇÃO: Fica maravilhosa cultivada de forma isolada em vasos ou em grupos em jardineiras e canteiros.

PROPAGAÇÃO: Por sementes (método mais difícil) e divisão de touceiras (pode ser feita a cada 2 anos).

21 de jan. de 2019

JACINTO-DOS-CAMPOS, SPANISH BLUEBELL - ( Hyacinthoides hispanica )


NOME CIENTÍFICOHyacinthoides hispanica. 


NOME POPULAR: jacinto-dos-campos, sinos-azuis-espanhóis, spanish bluebell.


FAMÍLIA: Asparagaceae.

CICLO DE VIDA: Perene.

ORIGEM: Espanha, Portugal. (Península Ibérica) e noroeste da África.

PORTE: Até 50 cm de altura.

FOLHAS: Formada por um tufo de duas a seis folhas, que chegam atingir até 0,5 metro, são longas, estreitas, arqueadas, suculentas e nascem a partir da base.

FLORES: Uma longa haste floral desponta na primavera diretamente do bulbo, a inflorescência reúne em sua extremidade cerca de 20 flores, com formato de sino.

Nota: Existe diversas cultivares com flores de tonalidades diversas

FRUTOS: São cápsulas que quando maduras se abrem e liberam sementes de coloração negra.

LUMINOSIDADE: Aprecia sol filtrado por árvores, mas pode ser cultivada a meia-sombra, sol pleno e tolera condições de sombra com bastante claridade.

ÁGUA: Gosta de solo úmido, com boa drenagem, mas não encharcado.

Nota: A planta precisa entrar em dormência, ocasião em que as regas deverão ser diminuídas e depois interrompidas.

CLIMA: Aprecia clima temperado quente e subtropical árido.

PODA: Por ser uma planta que se propaga também por sementes ao serem dispersas, dando origem a novas plantas, se for desejo, que não se alastrem, essas novas brotações devem ser retiradas.

CULTIVO: Gosta de solo arenoso, rico em matéria orgânica.

Nota: A planta precisa entrar em dormência, ocasião que toda parte aérea seca, nos locais de origem isso acontece no verão, que é a época que praticamente não chove, não tenho ainda informação de como seria o comportamento dela aqui no hemisfério sul, onde a maioria dos bulbos entra em dormência no inverno.

FERTILIZAÇÃO: Por ocasião do plantio misturar na terra composto orgânico ou NPK 04-14-08 sempre ao redor do bulbo nunca junto a ele.

UTILIZAÇÃO: Ficam maravilhosas em maciços, bordaduras e embaixo de árvores, desde que não ocorra pisoteio.

PROPAGAÇÃO: É feita por sementes e pela separação dos bulbilhos que nascem juntos ao bulbo-mãe.

PLANTA TÓXICA: Todas as partes da planta são tóxicas, portanto quem tem crianças pequenas e animais domésticos deve ter cuidados especiais.

PRAGAS E DOENÇAS: É resistente ao ataque de insetos, não ocorrendo problemas mais sérios.